Göttinger Predigten

deutsch English español
português dansk Schweiz

Startseite

Aktuelle Predigten

Archiv

Besondere Gelegenheiten

Suche

Links

Gästebuch

Konzeption

Unsere Autoren weltweit

Kontakt
ISSN 2195-3171





Göttinger Predigten im Internet hg. von U. Nembach

21º Domingo após Pentecostes, 05.10.2008

Predigt zu Isaías 25:6-9, verfasst von Edson Ronaldo Tressmann

As maravilhosas promessas de Deus

O grande dia chegou. O dia em que vamos definitivamente votar em algum(a) candidato(a). A grande maioria dos candidatos(as) nos deixaram seu plano de governo. Ali vemos todas as suas promessas, e como vão cumprir o que prometem.

As promessas dos(as) candidatos(as), nos anima a votar ou deixar de votar.

Eleições é um período marcado por promessas. O profeta Isaías anuncia maravilhosas promessas de Deus e conclui dizendo que no final todos irão afirmar que realmente Deus é o nosso Deus, e ele merece toda a confiança e nele podemos ter esperança.

Sendo assim convido a cada um a meditar no tema: As maravilhosas promessas de Deus. Quais?

AS MARAVILHOSAS PROMESSAS DE DEUS. Quais?

1 - Ele dará um banquete para todos os povos do mundo.

Davi no salmo 23 v.5 diz: "Preparas um banquete para mim, onde os meus inimigos me podem ver. Tu me recebes como um convidado de honra e enches o meu copo até derramar". O profeta Isaias reafirma: "No monte Sião, o Senhor todo poderoso vai dar um banquete para todos os povos do mundo; nele haverá as melhores comidas e os vinhos mais finos" (Is 25.6). E ainda o próprio Jesus fala sobre o banquete celestial na parábola de hoje.

Banquete - quantas vezes nós somos convidados para deliciar um banquete? E quando somos convidados nos preparamos bem, é um banho longo, roupa boa e limpa, ou até nova (dependendo do banquete), perfume, etc. Além de comer bem, queremos nos sentir bem no local, por isso, nos preparamos adequadamente.

O profeta Isaias da parte do próprio Deus está prometendo que Deus vai dar um banquete. Você se sente digno de participar desse banquete? Muitas das pessoas que ouviam Jesus pronunciar a parábola se imaginavam perfeitamente justos e dignos de participar do banquete. Na verdade, Jesus está apontando o dedo e dizendo que não é por vontade de Deus que muitos deles não irão participar do banquete. A culpa é pessoal, é deles, eles não estão aceitando o convite. Não estão recebendo o salvador, aquele que os torna dignos de participar.

Muitos ainda hoje querem justificar a si mesmos. Pensam que seus atos de justiça os levarão a força até a festa do banquete celestial. O próprio profeta Isaias anuncia que nossos atos de justiça não passam de trapos de imundícia.

O profeta Isaias faz uma promessa esplendorosa. Deus dará um banquete, com as melhores comidas e os vinhos mais finos. Se fosse uma eleição os gritos seriam: Oba! Oba! Oba! É isso aí, já ganhou!

Interessante, se notarmos o novo testamento, nós veremos que o povo queria fazer Jesus um rei. Ele alimentava, curava, era simpático, conversava e cumprimentava o povo. Tanto que no domingo de ramos quando Jesus entrou em Jerusalém, muitos o queriam ver como rei. Lá vem o nosso rei! E quando viram que o reino de Jesus não era desse mundo, crucifica-o, crucifica-o. Jesus veio para nos dar as roupas adequadas para participarmos do banquete celestial. Ele veio nos dar perdão, vida e salvação, a entrada para o céu, para o banquete. O profeta Isaias, havia anunciado essa promessa e em Jesus, Deus que não falha em suas palavras e promessas veio cumpri-la.

A nossa dignidade está naquilo que Deus em Jesus fez por nós, por isso, Jesus mesmo disse: "Eu lhes dou a vida eterna, e por isso elas nunca morrerão. Ninguém poderá arrancá-las da minha mão" (Jo 10.28), por meio de Jesus recebemos a dignidade para entrar e fazer parte desse delicioso banquete. O próprio apóstolo João em Apocalipse anuncia: "....São as pessoas que lavaram as suas roupas no sangue do cordeiro, e elas ficaram brancas" (Ap 7.14); e continua o próprio Isaias "Nós nos alegraremos e cantaremos um hino de louvor por causa daquilo que o Senhor, nosso Deus, fez. Ele nos vestiu com a roupa da salvação e com a capa da vitória. Somos como um noivo que põe um turbante de festa na cabeça como uma noiva enfeitada com jóias" (Is 61.10), e o apóstolo Paulo confirma: "Porque vocês foram batizados para ficarem unidos com Cristo e assim se revestiram com as qualidades do próprio Cristo" (Gl 3.27).

AS MARAVILHOSAS PROMESSAS DE DEUS. Elas não falham, são cumpridas e nos satisfazem.

A outra promessa que foi anunciada pelo profeta:

2 - Acabará com a morte para sempre; fará desaparecer do mundo inteiro a vergonha do seu povo; enxugará dos olhos as lágrimas.

A morte é conseqüência do pecado, diz Paulo aos Romanos: "Pois o salário do pecado é a morte...." (Rm 6.23). Ainda no jardim do Éden, quando homem e mulher viviam em comunhão perfeita com Deus, o nosso inimigo, os tentou, e eles acabaram cedendo à tentação, e assim o homem passou a viver na vergonha, passou a viver no desespero, na aflição e aguardando a hora da sua morte. Lá no Éden, após a queda em pecado, Deus caminhando pelo jardim perguntou ao homem, "Onde estás?" (Gn 3.9), ou seja, qual é a tua situação longe de mim?

Longe de Deus, estamos perdidos eternamente. Longe de Deus não poderemos participar do banquete preparado por Deus, não poderemos usufruir as maravilhosas promessas de Deus. Longe de Deus só há dor e sofrimento eterno. Claro que essa pergunta levou Adão e Eva ao reconhecimento do seu erro. Longe de Deus acontecerá aquilo que o profeta Daniel disse: "...muitos dos que já tiverem morrido viverão de novo: (perto de Deus) uns terão a vida eterna, (os que estiverem longe(sem) de Deus) e outros sofrerão o castigo eterno e a desgraça eterna" (Dn 12.2). Qual é a tua situação longe (sem) de Deus? Essa mesma pergunta quer nos conduzir ao reconhecimento do nosso erro.

É importante lembrar que após a pergunta, Deus fez uma promessa maravilhosa, "Eu farei com que você e a mulher sejam inimigas uma da outra, e assim também serão inimigas a sua descendência e a descendência dela. Esta esmagará a sua cabeça, e você picará o calcanhar da descendência dela" (Gn 3.15). Deus prometeu desde o Éden enviar seu único Filho para pagar pelo erro e trazer homem e mulher de volta ao paraíso. E o profeta Isaias renovando a certeza dessa promessa, e lança os olhos do povo numa promessa bem posterior "acabará com a nuvem de tristeza.... acabará para sempre com a morte....fará desaparecer do mundo inteiro a vergonha que o seu povo está passando... e enxugará dos olhos toda a lágrima" Uma promessa de libertação do cativeiro babilônico, e junto a isso a libertação final, o juízo final.

Jesus veio ao mundo e cumpriu a missão de nos salvar, por isso, diante da certeza da ressurreição de Jesus e da nossa, Paulo escreve: "assim, quando este corpo mortal se vestir com o que é imortal, quando este corpo que morre se vestir com o que não pode morrer, então acontecerá o que as Escrituras Sagradas dizem: ‘A morte está destruída! A vitória é completa! Onde está, ó morte, a sua vitória? Onde está, ó morte, o seu poder de ferir?" (1Co 15.54-55) e ainda o apóstolo João anunciou: "Meus amigos, agora nós somos filhos de Deus, mas ainda não sabemos o que vamos ser. Porém sabemos isto: quando Cristo aparecer, ficaremos parecidos com ele, pois o veremos como ele realmente é" (1Jo 3.2).

Em Jesus está cumprida a promessa. Em Jesus nossos olhos são enxugados. Em Jesus podemos nos alegrar, mesmo diante da morte, pois ela não é o fim, é sim, a continuação da vida, mas da vida eterna, sem sofrimento, sem dor, sem desespero, será uma alegria eterna. Como afirma o apostolo João em Apocalipse diante da visão do novo céu e da nova terra: "Ele enxugará dos olhos deles todas as lágrimas. Não haverá mais morte, nem tristeza, nem choro, nem dor. As coisas velhas já passaram" (Ap 21.4).

Jesus, enviado da parte de Deus para nos resgatar, para nos tornar dignos de entrar no banquete. Jesus veio para acabar com a morte para sempre, acabar com a vergonha eterna; e enxugar dos nossos olhos toda a lágrima.

AS MARAVILHOSAS PROMESSAS DE DEUS. Me levam....

3 - a ter esperança e confiança.

O profeta Isaias foi anunciar ao povo as promessas de Deus. Eles estavam sendo tentados a fazerem o mesmo que os moabitas, ou seja, resistir contra Deus. Os capítulos 24-27 podme ser considerados a parte apocalíptica de Isaias. O profeta usa uma linguagem que indica o povo de luto, ou alguém ameaçado de morte. Essa era a situação do povo de Deus. Eles deveriam confiar em Deus, e não se voltar contra Deus adorando outros deuses e até fazendo alianças com outros povos. Deus os iria libertar, e nisso eles eram convidados a confiar e depositar nele toda esperança. O profeta está ali da parte de Deus, anunciando as maravilhosas promessas de Deus e diante delas espera que o povo tenha esperança e confiança.

Quando Jesus dizia aos seus discípulos que iria subir aos céus para nos preparar lugar, Tomé perguntou: Senhor, não sabemos para onde vais; como saber o caminho?" (Jo 14.5) E Jesus respondeu: "Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida; ninguém vem ao Pai senão por mim" (Jo 14.6), e o apóstolo Paulo diz: "Pois todos vós sois filhos de Deus, mediante a fé em Cristo Jesus" (Gl 3.26); e segue: "Ora, se somos filhos, somos também herdeiros, herdeiros de Deus e co-herdeiros com Cristo; se com ele sofremos, também com ele seremos glorificados. Porque para mim tenho por certo que os sofrimentos do tempo presente não podem comparar com a glória a ser revelado em nós" (Rm 8.17-18).

Por isso, vale a nós as palavras de João em Apocalipse: "Não temas as coisas que tens de sofrer. Eis que o diabo está para lançar na prisão alguns dentre vós, para serdes postos à prova, e tereis tribulação de dez dias. Sê fiel até a morte, e dar-te-ei a coroa da vida" (Ap 2.10).

Permanecer firme, fiel e dedicado a Deus, esse era o convite para o povo de Israel por meio do profeta Isaias. A certeza para continuar a ter esperança e confiança estava nas maravilhosas promessas de Deus.

Nós cristãos do século XXI, somos convidados a permanecer esperançosos e confiantes em Deus, e que possamos dizer como Paulo: "Combati o bom combate, completei a carreira, guardei a fé. Já a coroa da justiça me está guardada, a qual o Senhor, o reto juiz, me dará naquele dia; e não somente a mim, mas também a todos quantos amam a sua vinda" (2Tm 4.7-8).

Deus não falha, como diz o autor de Hebreus: "Jesus Cristo, ontem e hoje, é o mesmo e o será para sempre" (Hb 13.8). Ele não muda, tudo o que prometeu cumpriu, e tudo o que ainda tem para cumprir, ele cumprirá. Esse o Deus da promessa, e por suas maravilhosas promessas que já foram cumpridas e outras que ainda cumprirá, eu continuarei a ter esperança e confiança no meu Deus, o Deus da minha salvação.

AS MARAVILHOSAS PROMESSAS DE DEUS

4 - me alegra e me anima a cantar.

Diante das maravilhosas promessas de Deus, o povo deveria cantar e se alegrar. O profeta afirma que em Deus eles podiam cantar e se alegrar, pois o socorro era certo. Diante de um povo idolatra, a certeza do socorro em Deus precisava ser enfatizada. O povo de Deus, libertado da escravidão por Deus, havia abandonado a Deus, havia se esquecido de Deus. Mas por amor a humanidade, Deus não se esqueceu do seu povo, volta a eles com maravilhosas promessas e tudo o que Deus deseja é que o povo tenha esperança, confiança, se alegre e cante pelo socorro que em Deus é certo. E para nós a promessa ainda vale; "Porém Deus prometeu, e nós estamos esperando um novo céu e uma nova terra, onde tudo será feito de acordo com a vontade dele. Por isso, meus amigos, enquanto vocês esperam aquele dia, façam o possível para estar em paz com Deus, sem mancha e sem culpa diante dele" (2Pe 3.13-14).

Cantemos e nos alegremos nas maravilhosas promessas de Deus, sigamos o conselho de Jesus: "Pelo contrário, ajuntem riquezas no céu, onde as traças e a ferrugem não podem destruí-las, e os ladrões não podem roubá-las" (Mt 6.20). Pois como diz Paulo a Tito: "Pois Deus revelou a sua graça para dar a salvação a todos. Essa graça nos ensina a abandonarmos a descrença e as paixões mundanas e a vivermos neste mundo uma vida prudente, correta e dedicada a Deus, enquanto ficamos esperando o nosso grande Deus e salvador Jesus Cristo" (Tt 2.11-13). Alegremos e cantemos, nosso Deus está do nosso lado. Renova suas promessas e é socorro certo nas tribulações.

Conclusão. Eleições é um período marcado por promessas. O profeta Isaías anuncia maravilhosas promessas de Deus e conclui dizendo que no final todos irão afirmar que realmente Deus é o nosso Deus, e ele merece toda a confiança e nele podemos ter esperança. Nosso Deus cumpriu, cumpre e cumprirá todas as suas promessas. E como são maravilhosas as promessas de Deus. Vamos nos lembrar: Ele dará um banquete para todos os povos do mundo; acabará com a morte para sempre; fará desaparecer do mundo inteiro a vergonha do seu povo; enxugará dos olhos as lágrimas; e por essas maravilhosas promessas de Deus eu tenho esperança e confiança; e me alegro e canto. Deus nos ABENÇOE A PERMANECERMOS FIRMES NAS MARAVILHOSAS PROMESSAS DE DEUS.

                                                                                                            

   Amém!

  

 

 



Edson Ronaldo Tressmann
Alto Parnaíba, MA ? Brasil
E-Mail: cristo_para_todos@hotmail.com

(zurück zum Seitenanfang)