Göttinger Predigten

deutsch English espańol
portuguęs dansk Schweiz

Startseite

Aktuelle Predigten

Archiv

Besondere Gelegenheiten

Suche

Links

Gästebuch

Konzeption

Unsere Autoren weltweit

Kontakt
ISSN 2195-3171





Göttinger Predigten im Internet hg. von U. Nembach

2ş Domingo de Páscoa, 15.04.2007

Predigt zu Salmo 100:1-5, verfasst von Lindolfo Pieper

SERVIR AO SENHOR COM ALEGRIA

Salmo 100.1-5: "Celebrai com júbilo ao Senhor todas as terras. Servi ao Senhor com alegria, apresentai-vos diante dele com cânticos. Sabei que o Senhor é Deus; foi ele quem nos fez e dele somos. Somos o seu povo e rebanho do seu pastoreio. Entrai por suas portas com ações de graças e nos seus átrios com hinos de louvor; rendei-lhe graças e bendizei-lhe o nome. Porque o Senhor é bom, a sua misericórdia dura para sempre, e, de geração em geração a sua fidelidade".

Conta-se que Willington, um grande missionário que viveu no século passado, viu, enquanto desembarcava, junto a uma praia, um grupo de índios rodeando uma pessoa para carneá-la.

Ela estava amarrada a um poste, e perto dela havia um caldeirão de água fervendo. Vendo que a iriam matar, Willington tentou salvá-la. Pegou a sua espingarda e atirou para o alto.

Vendo isso, os índios, amedrontados, se puseram a correr, deixando a vítima amarrada. O missionário, então, se aproximou, pegou o seu facão, cortou o cipó que a prendia e a soltou.   

Quando se viu livre das mãos dos índios, o homem lançou-se aos pés do missionário em profundo agradecimento, prometendo dedicar-lhe toda a sua vida, de ser o seu escravo, e o acompanhar em todos os passos. Pois, se não fosse ele, dizia, estaria morto. E fez questão de servi-lo.  

Com a sua morte na cruz, Cristo nos restituiu a vida, e nos libertou das mãos de Satanás. Não deveríamos nós também dedicar-nos a ele de todo o coração e por toda a vida? Diz o apostolo Paulo em 1 Co 6: "Fostes comprados por preço; agora, pois, glorificai a Deus no vosso corpo". E o salmista acrescenta, dizendo: "Servi ao Senhor com alegria, apresentai-vos diante dele com cântico".

Servir ao Senhor deve ser o grande objetivo de todo o cristão. Não devemos servi-lo contrariados, mas com alegria e gratidão, por tudo o que ele fez por nós; de modo especial, pela salvação que ele conquistou para nós na cruz.

Diz-nos a Bíblia que depois da morte de José, subiu um outro Faraó ao trono do Egito. Este Faraó, vendo que o povo de Israel se multiplicava sobre a terra, temendo que um dia eles pudessem dominar o Egito, resolveu escravizá-los. 

Ele baixou um decreto, obrigando os israelitas a trabalhos forçados, como a construção de pirâmides, barragens e armazéns. O povo trabalhava, trabalhava, mas não ganhava nada. A única coisa que recebia era maus tratos, surras de desaforos.

Essa escravidão durou 450 anos. Ao fim dos quais o povo não suportava mais. Começaram então a clamar a Deus, que se lembrasse deles e os libertasse da escravidão.

E Deus atendeu o seu pedido. Preparou a Moisés e o enviou a Faraó. Este, depois de muita luta, conseguiu convencer a Faraó que deixasse o povo sair.

Deus, para mostrar que estava com o povo, os fez atravessar o Mar Vermelho em terra enxuta, os abençoou com o maná. Além disso, ele se fazia presente ao povo, de dia numa nuvem; de noite numa coluna de fogo.

Quando chegaram a um monte muito alto, chamado Sinai, eles viram de repente vozes, relâmpagos e trovões.

Deus pediu que o povo se aproximasse e ditou a eles os Dez Mandamentos, e os mandou gravar em tábuas de pedra para que eles conhecessem a sua vontade e andassem conforme a sua lei.

Deus, ao dar a sua lei no monte Sinai, queria mostrar ao povo que fora ele que os libertara do Egito e agora tinha o direito de exigir deles obediência.

Também nós fomos escravos. Éramos escravos do pecado, tendo como dono a Satanás. Como o Faraó do Egito, o diabo oprime e escraviza os homens. Mas Cristo nos resgatou. Ele nos libertou da escravidão do pecado.

Não foi fácil para Moisés convencer a Faraó para que deixasse o povo sair do Egito. Foi preciso muita luta e insistência.

Muito maior, porém, foi a luta de Jesus para nos libertar do pecado: custou-lhe a própria vida. Diz o apóstolo Pedro: "Não foi mediante coisas corruptíveis, como ouro ou prata, que fostes resgatados do vosso fútil procedimento, mas pelo precioso sangue, como de cordeiro sem mácula, o sangue de Cristo".

Agora que fomos libertos por Cristo, Deus espera de nós que o reconheçamos como o nosso dono e o sirvamos na nossa vida.

Lutero, no 2º Artigo do Credo Apostólico, usando as palavras de Pedro, explica muito bem isso. Diz ele: "Ele me remiu a mim, homem perdido e condenado, me resgatou e salvou de todos os pecados, da morte e do poder do diabo; não com ouro e prata, mas com o seu santo e precioso sangue, para que eu lhe pertença e viva submisso a ele em seu reino, e o sirva".

Pela fé em Cristo nos tornamos filhos de Deus, e Deus o nosso Pai. Como o nosso Pai, Deus tem o direito de exigir obediência da nossa parte. Deus não quer filhos desobedientes ou cristãos relaxados. Deus espera submissão da nossa parte.

Quando há cem anos atrás havia escravidão no Brasil, comprava-se e se vendia escravos. O escravo comprado tinha que mostrar serviço ao seu dono.

Como pessoas redimidas e salvas, comprados com o sangue de Cristo, temos o dever de mostrar serviço ao nosso Deus.

Certo pintor resolveu pintar um quadro que retratasse a morte expiatória de Cristo em nosso lugar. Ele desenhou uma cruz e sobre ela colocou o corpo do Salvador Jesus. Em baixo escreveu: "Morri na cruz por ti, morri pra ti salvar. Meu sangue sim verti, e posso te salvar. Morri, morri na cruz por ti: que fazes tu por mim?"

Saulo era um perseguidor da igreja. Mas quando ele se converteu, a primeira coisa que ele fez foi se colocar a disposição do Senhor e a perguntar: "Que queres, Senhor, que eu faça?".

E Cristo tinha muito trabalho para Saulo, que se transformou no grande apóstolo Paulo, o bandeirante do Evangelho.

Também nós, como cristãos, comprados com o sangue de Jesus, devemos igualmente perguntar constantemente a Deus: "Que queres, Senhor, que eu faça?"

E Deus, por certo, tem muita coisa para nós fazer. Quem quiser servir ao Senhor, não falta oportunidade. É só se colocar a sua disposição, que Deus vai abrindo as portas.

Coloquemos-nos, pois, irmãos e irmãs, a disposição do Senhor e digamos: "Jesus, eu quero te servir, pois tu quiseste me remir. Demais irás me despertar, e aos céus contigo me levar".

Que esta seja a resolução de cada um de nós: de servir ao Senhor - e servi-lo com alegria. Em nome de Jesus. Amém.



Lindolfo Pieper
Jaru, RO - Brasil
Igreja Evangélica Luterana do Brasil
www.ielb.org.br
E-Mail: piperlin@uol.com.br

(zurück zum Seitenanfang)