Göttinger Predigten

deutsch English español
português dansk Schweiz

Startseite

Aktuelle Predigten

Archiv

Besondere Gelegenheiten

Suche

Links

Gästebuch

Konzeption

Unsere Autoren weltweit

Kontakt
ISSN 2195-3171





Göttinger Predigten im Internet hg. von U. Nembach

3º Domingo após Epifania, 24.01.2010

Predigt zu Neemias 8:1-3,5-6,8-10, verfasst von Valdemar Lückemeyer

 

Irmãs, irmãos!

Cidade reconstruída. Muros reerguidos. Portões novos. Segurança garantida. A vida em paz estava assegurada novamente. Havia novamente futuro e esperança. Este é o pano de fundo do nosso texto bíblico. Neemias, um judeu deportado que trabalhava no palácio do rei da Pérsia, ficou sabendo que a sua cidade santa, Jerusalém, ainda estava em ruína. Isto o deixou profundamente abatido e ele foi pedir licença ao rei - a quem ele servia como copeiro! - para voltar à cidade, onde seus antepassados estavam sepultados, e reconstruí-la. Mas antes deste pedido ao rei, Neemias orou a Deus. Pediu sucesso ao seu plano de reconstruir a cidade, de ajudar seus compatriotas e de obter apoio do rei. Pedido feito, pedido atendido.

Neemias envolveu muita gente na reconstrução da cidade. Dividiu tarefas. Deu exemplo de trabalho e de dedicação. Condenou a exploração praticada contra os mais fracos e pobres. Reorganizou a vida dos seus irmãos e irmãs. Enfim, a vida voltou a reinar, pois tudo tinha sido reconstruído. Os muros foram reerguidos, os portões foram renovados. Mas algo faltava. Ainda não tinha sido reconstruído tudo! A parte material estava atendida. E a espiritualidade? A relação com Deus? Esta ainda não tinha sido reconstruída. Era, pois, necessário avaliar esta situação!

Para isto nada melhor do que ouvir a própria Palavra de Deus. O povo estava se reorganizando e vivendo em paz e segurança. Mas era preciso ouvir a Palavra de Deus, esta Palavra que é "lâmpada para os nossos pés e luz para os nossos caminhos" (Sl 119.105). Esdras, o sacerdote e professor da Lei, leu a Palavra de Deus e os auxiliares, os levitas a interpretaram e explicaram a fim de que todos a entendessem. E a resposta foi clara: todos reconheceram a sua culpa, por isso ficaram inicialmente tristes, mas depois se alegraram e foram felizes para casa para celebrar. A Palavra tinha lhes mostrado a sua culpa, por um lado, e a bondade e a misericórdia de Deus, por outro lado.

Também em nossa sociedade há muita ruína. A vida está ameaçada. Há muito para ser reconstruído! Isto não é tarefa para poucos. Sabemos de alguns grupos, de algumas ONGs, de alguns voluntários isolados que percebem a péssima situação econômica, social, ética e moral em que nos encontramos. Também a espiritualidade está em baixa. A vida comunitária sofre ameaças. As pessoas se isolam cada vez mais e não querem mais compromisso duradouro com nada, com ninguém, também não com a comunidade cristã. Por onde começar? É tarefa para muita gente. A solidariedade precisará vencer a timidez e a indiferença. E ela vencerá, se buscarmos o seu fundamento na Palavra de Deus.

O texto bíblico nos diz que Esdras leu a Palavra de Deus para o povo "desde o nascer do sol até o meio-dia. E todos ouviam com atenção" (V 3). Junto com a pergunta por onde começar com a reconstrução da nossa sociedade e da vida em ruínas de muitas pessoas, se faz necessária a pergunta: O que fazer para que o nosso povo tenha disposição, alegria e persistência para ouvir a Palavra de Deus? O que se constata na maioria das comunidades é certo cansaço, sim um desinteresse muito grande em querer ouvir a Palavra de Deus, em querer estudar a Palavra. Oramos e cantamos "a lei do Senhor é perfeita e restaura as forças, o testemunho do Senhor é fiel e dá sabedoria às pessoas simples, ... os juízos do Senhor são justos, são mais desejáveis do que o ouro, mais doces do que o mel" (Sl 19,7ss). Mas deixamos de ouvir, de meditar, de estudar com tempo e dedicação "os conselhos do Senhor".

Não basta reconstruirmos somente alguns setores da nossa sociedade. Saúde, segurança, ética são aspectos que precisam, com urgência, de melhorias. Não basta reconstruirmos setores, se não buscarmos também a saúde plena, a paz plena, que são dádivas de Deus. A ênfase de uma, quem sabe, nova espiritualidade precisa fazer parte do todo.

Por isso é tão importante ter tempo, e muito tempo, para ouvir a Palavra. Dela ouviremos que nosso Deus, que acompanhou e guardou seu povo em todos os momentos, quer continuar ao nosso lado, que Ele continua sendo fiel, que Sua bondade não tem fim. Tudo isto Ele demonstrou claramente em Jesus Cristo. A Sua Palavra nos leva a reconhecer a nossa infidelidade a Ele, e a confessá-la, mas ela também nos aponta para a bondade de Deus para com todos, para todos "que o buscam de todo o coração" (Jer. 29.13), ou como o Evangelho do domingo nos afirma: "Chegou o tempo em que o Senhor salvará o seu povo" (Lc 4.19).

Neemias se empenhou na reconstrução de sua cidade. Orou a Deus; pediu Sua ajuda. Envolveu muita gente no seu projeto. Assim também a comunidade cristã é chamada por Deus para ser instrumento na realização de Sua missão. Deus quer envolver muita gente, cada um com seu dom: "A uns estabeleceu Deus na igreja, primeiramente apóstolos, em segundo lugar profetas, em terceiro lugar os mestres ...", além de muitos outros (1.Co. 12.28s).

Que Deus continue nos mostrando através de Sua Palavra o seu plano e que nos sintamos chamados por Ele a sermos participantes do Seu projeto.

Amém!

 



P. Valdemar Lückemeyer
Carazinho, RS, Brasil
E-Mail: luckemeyer@annex.com.br

(zurück zum Seitenanfang)