Göttinger Predigten

deutsch English espańol
portuguęs dansk Schweiz

Startseite

Aktuelle Predigten

Archiv

Besondere Gelegenheiten

Suche

Links

Gästebuch

Konzeption

Unsere Autoren weltweit

Kontakt
ISSN 2195-3171





Göttinger Predigten im Internet hg. von U. Nembach

6ş Domingo de Páscoa / Dia das Măes, 13.05.2007

Predigt zu Salmo 67:, verfasst von Nivaldo Schneider

Dia das Mães - 13.05.2007
Salmo 67 e 1 Reis 3.16-28, Nivaldo Schneider e Sílvio Ferreira da Silva

COMO SE MANIFESTA O AMOR EM FAMÍLIA

Nessa semana, no Rio de Janeiro, uma mãe foi baleada quando ofereceu seu próprio corpo como escudo para proteger a vida do seu filho. Essa mesma mãe, há alguns anos atrás, teve um filho assassinado. Agindo assim, ela demonstrou um grande amor para com o seu filho.

O texto de 1 Reis também fala do grande amor de uma mãe. Por isso, nesta mensagem, lembrando o dia das mães, queremos meditar sobre o tema: Como se manifesta o amor em família?          

O nosso texto diz que duas prostitutas moravam numa mesma casa. Ambas deram à luz a um filho. Numa noite, uma delas rolou sobre seu filho e o sufocou. Ela, então, levantou-se, pegou o seu filho morto e colocou ao lado da outra mãe. E pegou o filho vivo da outra mãe e o levou para a sua cama.

No outro dia, quando a mãe que tinha o filho vivo, levantou-se para lhe dar de mamar, o seu filho estava morto. Porém, reparando bem, percebeu que não era seu filho. Ela foi falar com a outra mulher. Esta lhe negou que seu filho era o morto.   

Elas apresentaram esta questão ao rei Salomão. Depois de ouvi-las, o rei pediu que lhe fosse trazida uma espada e disse: "Cortem a criança viva pelo meio e dêem a metade para cada uma dessas mulheres".

Entretanto, a verdadeira mãe do menino, com o coração cheio de amor materno pelo filho, disse: "Por favor, senhor, não mate o meu filho! Entregue-o a esta mulher!" A outra mãe disse: "Podem cortá-lo em dois pedaços! Assim ele não será nem meu, nem seu".

Diante dessa atitude, o rei Salomão disse: "Não matem a criança! Entreguem o menino à primeira mulher, pois ela é a mãe dele". Esse texto nos oferece uma boa oportunidade para refletir sobre o tema: Como se manifesta o amor em família?

Como está o amor na família? Nós estamos presenciando fatos que demonstram que o amor na família é um elemento raríssimo. Nós ouvimos notícias de mães que abandonam seus filhos recém-nascidos, mães que matam seus filhos, filhos que matam suas mães e pais, pais que usam seus filhos como instrumentos para ganhar dinheiro, lançando-os na prostituição, na venda de drogas e na criminalidade.

Como está o amor na família cristã? Será que na família cristã o amor também é um elemento raro? As famílias cristãs também vivem as suas dificuldades. Na atual conjuntura, onde o pai e a mãe trabalham fora, os filhos não podem ser esquecidos. Eles precisam receber a atenção, o amor e o carinho dos pais. Como isso é demonstrado?

Os pais demonstram amor, carinho e atenção para os filhos quando lhes providenciam, através do seu trabalho honesto, sustento, vestuário, educação, saúde, lazer. Tudo isso é absolutamente necessário. O que os pais cristãos não podem esquecer é providenciar para os filhos uma verdadeira educação cristã. Como eles fazem isso?

Quando o filho nasce, os pais o encaminham aos braços de Jesus, trazendo-o ao batismo. Depois, acompanham a sua educação cristã na família: falando de Jesus para a criança, contando histórias bíblicas para ela, trazendo-a regularmente para a igreja e encaminhando-a para a escola bíblica, dando todo o apoio para a sua educação cristã no ensino confirmatório, incentivando-a a participar do grupo de jovens e, especialmente, dando bom exemplo em casa, como pai e como mãe, fazendo devoção familiar, lendo a Bíblia, mantendo uma vida de oração. É isso que Deus espera tanto do pai quanto da mãe.

Os filhos manifestam amor e carinho aos pais quando reconhecem o esforço dos pais em providenciar-lhes o necessário para o corpo e para a vida; quando olham para os seus pais e os reconhecem como representantes de Deus para eles aqui nesse mundo; quando ajudam seus pais nas atividades do lar, dividindo as responsabilidades dentro de casa e não deixando tudo para o pai ou a mãe fazer; quando ouvem os conselhos dos seus pais e seguem as suas orientações; quando cuidam dos seus pais quando eles estão idosos e necessitam da sua ajuda. É isso que Deus espera de um filho e de uma filha.

Os pais e os filhos devem se esforçar para criar no lar um ambiente harmonioso, onde as pessoas têm o prazer de estar, onde existe um tratamento carinhoso, acolhedor e, tanto os pais como os filhos estão envolvidos no bem estar do outro.

Será que estamos agindo assim, como pais e como filhos? Se formos honestos diante de Deus, precisamos reconhecer que, muitas vezes, falhamos na nossa atuação como pais e como filhos cristãos. Deus está nos chamando ao arrependimento e a mudança de vida. Caso isso não aconteça, estaremos sujeitos ao seu juízo, a sua ira e ao seu castigo, nesta vida e por toda a eternidade.

Deus quer que tenhamos uma vida feliz em família. Para que isso acontecesse, ele providenciou o nascimento do seu próprio filho numa família. Ele fez isso para cumprir a sua promessa de buscar e salvar o que estava perdido. Esse Jesus que nasceu numa família tomou sobre si os pecados de todo o mundo, também os pecados que são cometidos na família. Ele sofreu, morreu e ressuscitou exatamente para conquistar perdão pleno e total para toda a humanidade.

O perdão conquistado por Jesus é tudo o que precisamos para uma vida familiar feliz e abençoada. Deus sabe que nós precisamos muito desse perdão, por isso, ele o oferece de graça no evangelho: no batismo, na pregação da palavra e na santa ceia.

Uma vez reconciliados com Deus, tendo a garantia do perdão dos pecados, e a força que Deus nos dá no evangelho, nós somos motivados pelo próprio Deus para viver este amor em família. Quanto mais nos envolvermos com a palavra de Deus, seja em casa, seja na igreja, mais equipados estaremos para viver este amor em família.

Por isso, vamos nos esforçar, como pai, como mãe, como filho, como filha, para priorizar o momento da leitura bíblica, da devoção doméstica, da oração em família, da participação regular nos cultos e na santa ceia. Vamos também nos esforçar para sempre dar um bom exemplo, como pai, mãe, filho e filha. Quando a família busca orientação, força e motivação na palavra de Deus, ela tem mais estrutura para suportar as adversidades da vida.

É verdade que, no mundo atual, o amor verdadeiro é um elemento raro. Como cristãos, nós sabemos que a fonte desse amor verdadeiro é Cristo Jesus. É a ele que precisamos nos apegar para viver esse amor em família. E assim ter uma vida sadia, equilibrada e feliz. Que Deus nos ajude. Amém!



Nivaldo Schneider
Vila Velha, ES - Brasil
Igreja Evangélica Luterana do Brasil
http://www.ielb.org.br/


E-Mail: nivaldoschneider@yahoo.com.br

(zurück zum Seitenanfang)