Göttinger Predigten

deutsch English español
português dansk Schweiz

Startseite

Aktuelle Predigten

Archiv

Besondere Gelegenheiten

Suche

Links

Gästebuch

Konzeption

Unsere Autoren weltweit

Kontakt
ISSN 2195-3171





Göttinger Predigten im Internet hg. von U. Nembach

7º Domingo de Páscoa, 20.05.2007

Predigt zu Salmo 133:, verfasst von Leandro Daniel Hübner

 

A UNIÃO ENTRE O POVO DE DEUS

Salmo 133.1: "Como é bom é agradável que o povo de Deus viva unido, como se todos fossem irmãos!"

O salmo 133 tem apenas três versículos. O 1º entendemos facilmente: LER. Mas o 2º e 3º não fazem muito sentido para nós. Na verdade, o Salmo 133 fala de um só tema - a união entre o povo de Deus.

O versículo 2 mostra a unção (consagração) do sacerdote, que hoje seria a nossa instalação do pastor numa paróquia ou congregação. Era derramado sobre ele um perfume especial, que descia da sua cabeça para a barba e a gola de sua veste especial.

Isso representava a comunhão que Deus queria ter com seu povo, pois o sacerdote estava ali para representar Deus ao povo e o povo a Deus. E tudo isso era um ato de Deus, uma iniciativa dele.

O versículo 3 do orvalho do monte Hermom, que é alto e fica longe do monte Sião. Até hoje, durante a noite, este forte orvalho rega a terra em volta do monte, impedindo que haja seca total e garantindo as colheitas naquela região.

Este orvalho une os dois montes com a bênção que vem de Deus, que desce do céu. Nessa união Deus dá a sua bênção - a vida eterna.

Baseados neste salmo, queremos hoje ver que a comunhão entre irmãos é bênção de Deus e prova de nosso amor.

A primeira coisa que temos que saber é que essa comunhão vem ou desce de Deus. Através do sacrifício de Cristo e sua ressurreição, Deus provou seu amor e comunhão conosco, e pelo Espírito Santo que nos dá a fé, ele cria a nossa união com Cristo e com nossos irmãos.

O que nos une é Cristo e seu amor, independentemente de nossas condições sociais, culturais, financeiras; de saúde, cor, raça ou nacionalidade.

União com Cristo significa que recebemos seu amor, perdão e salvação. Como o crer e estar unido a Jesus produz frutos, se a nossa fé é viva e verdadeira, então vamos amar e ter comunhão uns com os outros. Ouçam estes versículos sobre isso:

"Se tiverem amor uns pelos outros, todos saberão que vocês são meus discípulos" (João 13.35).

"Sabemos o que é o amor por causa disto: Cristo deu a sua vida por nós. Por isso nós também devemos dar a nossa vida pelos nossos irmãos. Meus filhinhos, o nosso amor não deve ser somente de palavras e de conversa. Deve ser um amor verdadeiro, que se mostra por meio de ações" (1 João 3.16,18).

"E todos continuavam firmes, seguindo os ensinamentos dos apóstolos, vivendo em amor cristão, partindo o pão juntos e fazendo orações. Todos os que criam estavam juntos e repartiam uns com os outros o que tinham. Louvavam a Deus por tudo e eram estimados por todos. E cada dia o Senhor juntava ao grupo as pessoas que iam sendo salvas" (Atos 2.42,44, 47).

O que Jesus, João e Lucas dizem nesses versículos é exatamente o que diz o tema da mensagem de hoje: Comunhão entre irmãos é bênção de Deus e prova de nosso amor.

Paulo, vendo isso na igreja de Éfeso, agradece a Deus por causa deles: "Por isso, desde que ouvi falar da fé que vocês têm no Senhor Jesus e do amor que vocês têm por todos os irmãos na fé, não paro de agradecer a Deus por causa de vocês" (Efésios 1.15,16).

Os membros da igreja naquela época viviam em comunhão de fé e amor juntos, e Deus os abençoava, com mais e mais gente sendo salva!

Ao crer em Jesus, nós recebemos perdão, vida e salvação, e nos tornamos membros da sua Igreja, sua família, seu corpo. Ouçam o que o autor do livro Uma vida com propósitos escreve sobre isso:

"As expressões "uns com os outros" e "entre si" são usadas mais de cinqüenta vezes no Novo Testamento. Somos ordenados a amar uns aos outros, a orar uns pelos outros, a incentivar uns aos outros, a admoestar uns aos outros, a saudar uns aos outros, a servir uns aos outros, a ensinar uns aos outros, a aceitar uns aos outros, a honrar uns aos outros, a carregar os fardos uns dos outros, a ser dedicados uns aos outros, além de muitas outras obrigações mútuas. Isso é ser um membro, do ponto de vista bíblico!" (Rick Warren, 117).

Ser um membro da Igreja é tudo isso: é fé em ação no amor uns aos outros no corpo de Cristo.

E, falando em corpo, a Igreja é comparada na Bíblia a um corpo, cuja cabeça é Jesus. Ouçam alguns versículos:

"Porque assim como em um só corpo temos muitas partes, e todas elas têm funções diferentes, assim também nós, embora sejamos muitos, somos um só corpo por estarmos unidos com Cristo" (Romanos 12,4,5).

"Desse modo não existe divisão no corpo, mas todas as suas partes têm o mesmo interesse umas pelas outras. Se uma parte do corpo sofre, todas as outras sofrem com ela. Se uma é elogiada, todas as outras se alegram com ela. Pois bem, vocês são o corpo de Cristo, e cada um é uma parte desse corpo" (1Coríntios 12.25-7).

"É ele (Cristo) quem faz com que o corpo todo fique bem ajustado e todas as partes fiquem ligadas entre si por meio da união de todas elas. E, assim, cada parte funciona bem, e o corpo todo cresce e se desenvolve por meio do amor" (Efésios 4.16).

O corpo, para crescer e se desenvolver, precisa de cada parte funcionando bem e ligada às outras por meio do amor. É assim que a Igreja vai ser abençoada e crescer: na comunhão entre irmãos. Ouçam:

"Ajudem uns aos outros e assim vocês estarão obedecendo à lei de Cristo". (Gálatas 6.2).

"Sejam sempre humildes, educados e pacientes, suportando uns aos outros com amor. Façam tudo para conservar, por meio da paz que une vocês, a união que o Espírito dá" (Efésios 4.2-3).

"Por isso procuremos sempre as coisas que trazem a paz e que nos ajudam a fortalecer uns aos outros na fé" (Romanos 14.19).

Paulo aqui está nos incentivando, como membros do corpo de Cristo, a praticar o amor e manter a paz entre nós, com humildade no servir uns aos outros, com também diz Pedro: "Que todos prestem serviços uns aos outros com humildade, pois as Escrituras Sagradas dizem: Deus é contra os orgulhosos, mas é bondoso com os humildes!" (1Pedro 5.5b).

Assim é a comunhão entre irmãos: bênção de Deus e prova de nosso amor. Mas, é assim que nós temos vivido aqui nesta congregação? Em nossa paróquia?

Se nós observarmos bem nossa comunhão, vamos concluir que ela precisa melhorar muito! Por exemplo: como vai nossa participação nos grupos de Estudo Bíblico (PEM)? Visitamos, ajudamos e oramos uns pelos outros? Somos unidos no trabalho de paróquia?

Aqui também temos alguns versículos que nos orientam:

"Animem uns aos outros, a fim de que nenhum de vocês se deixe enganar pelo pecado, nem endureça o seu coração" (Hebreus 3.13b).

"Pensemos uns nos outros a fim de ajudarmos todos a terem mais amor e fazerem o bem. Não abandonemos, como alguns estão fazendo, o costume de assistir às nossas reuniões. Pelo contrário, animemos uns aos outros e ainda mais agora que vocês vêem que o dia está chegando" (Hebreus 10.24-25).

Deus sabe que somos tentados a ser egoístas e acomodados, a nos afastar da comunhão com os irmãos na igreja, o corpo de Cristo. Por isso, ele nos incentiva a cuidarmos uns dos outros no amor de Jesus, e a buscarmos os que estão se desviando. "Não é da minha conta" é uma frase que não deve existir entre irmãos na fé em Cristo.

Buscar a comunhão e os desviados é tarefa de cada um, além do pastor. Toda a família cristã deve se preocupar quando há membros dela se desviando da fé em Cristo e do amor de Deus!

Meus irmãos e irmãs: a comunhão entre irmãos é bênção de Deus e prova de nosso amor!

Aqui neste mundo nós não teremos comunhão perfeita, pois somos pecadores. Mas isso nunca deve ser desculpa para nos acomodarmos e deixar de buscar uma união cada vez maior entre nós. Jesus orou por isso, como ouvimos no Evangelho de hoje.

Davi, no Salmo 133, disse que isso é bom e agradável; e ali, onde há essa união, Deus dá a sua bênção, a vida para sempre.

Com o amor de Cristo em nós, que recebemos na Palavra e nos santos Sacramentos, podemos sim ter verdadeira comunhão com nossos irmãos, pois a comunhão entre irmãos é bênção de Deus e prova de nosso amor!

Quero concluir lendo o que Paulo nos ensina sobre isso em Colossenses 3.12-17. Vamos abrir nossas Bíblias e acompanhar a leitura: LER.

Em nome do Senhor Jesus, agradecemos agora ao Pai por nossos irmãos na fé e pela nossa comunhão! Amém.



Leandro Daniel Hübner
Dionísio Cerqueira, SC
Igreja Evangélica Luterana do Brasil
www.ielb.org.br


E-Mail: ledahu@gmail.com

(zurück zum Seitenanfang)