Göttinger Predigten

deutsch English espańol
portuguęs dansk Schweiz

Startseite

Aktuelle Predigten

Archiv

Besondere Gelegenheiten

Suche

Links

Gästebuch

Konzeption

Unsere Autoren weltweit

Kontakt
ISSN 2195-3171





Göttinger Predigten im Internet hg. von U. Nembach

7ş Domingo de Páscoa, 20.05.2007

Predigt zu Salmo 110:, verfasst von Oscar Martinho Zimmerman

 

O QUE JESUS ESTÁ FAZENDO AGORA

Salmo 110.1: "Disse o Senhor ao meu Senhor: assenta-te à minha direita, até que eu ponha os teus inimigos debaixo dos teus pés".

Agora que Jesus subiu ao céu - o que está ele fazendo? Ele está "sentado à mão direita de Deus, o Pai" (versículo 1). E, estar assentado à direita do Pai, o que isto significa?

Em primeiro lugar: isto significa a aprovação e favor de Deus. Ou seja, à mão direita é um lugar de importância, o lugar do favorecido, do protegido.

Lembrem-se: é à direita que as ovelhas ficarão no dia do juízo final. Pelo menos é esta cena que nos vem à mente, pois assim a Escritura o descreve.

O fato de que Cristo está assentado à direita de Deus significa que o PAI aceitou a vida santa de Cristo por nós e seu inocente padecimento e morte para nossa salvação.

Cristo está assentado à direita porque ele uma vez esteve do lado esquerdo. E, novamente nos reportamos à cena do juízo final. Os condenados [os assim chamados cabritos] ficarão à esquerda, de Cristo no dia do julgamento.

E assim aconteceu com Cristo. Deus colocou todos os nossos pecados, a fúria da sua ira contra o pecado.

Mas é preciso lembrar que Cristo está sentado à direita da mão de Deus porque esteve deitado no fundo do túmulo ... no lugar mais depressivo imaginável, no silencio sepulcral por nós, conforme escreve o apóstolo Paulo em Filipenses 2.8: "Cristo humilhou-se a si mesmo e se tornou obediente até a morte e morte de cruz". E essa é a razão, continua Paulo, pelo que "Deus o exaltou sobremaneira, colocando-o acima de todos" (Filipenses 2.9).

Continuo a explicar: Cristo está sentado à direita de Deus porque foi ele quem nos purificou de todos os pecados. Lemos sobre isso em Hebreus 1.3 que, após ter feito Cristo a purificação de nossos pecados, "assentou-se à direita da majestade nas alturas".

Assim podemos ver que ele sentou-se à direita de Deus, mas antes disso estendeu suas mãos na cruz para nos purificar de nossos pecados.

No primeiro versículo de nosso texto o salmista afirma: "Disse o Senhor ao meu Senhor: assenta-te à minha direita, até que eu ponha os teus inimigos debaixo dos teus pés".

Os inimigos são o maligno, morte, inferno, doenças, fraqueza, sofrimentos, pecado, e qualquer pessoa má ou poder maldoso neste mundo ou no mundo do porvir.

Mas não foram todos eles derrotados e vencidos? Não é isto que nosso: a vida, morte e ressurreição que o nosso Senhor realizou?

Não foi isto que aconteceu impetuosamente quando nosso Senhor estava pendurado na cruz, quando somente pregos o seguravam ... para nossa salvação?

Na verdade, foi isso que ele estava fazendo. Ele estava colocando sob seus pés os seus e os nossos inimigos.

Eles foram conquistados [derrotados], e por isso já não são mais. No entanto, o "Diabo, nosso adversário, ainda anda em derredor como leão que ruge procurando alguém para devorar" (1 Pedro 5.8).

Ainda existem caixões, funerais e cemitérios.  O inferno continua a aterrorizar as pessoas e a trazer os seus horrores e o seu fogo.

Doenças ainda ferem, atacam e golpeiam pessoas. Sofrimentos ainda são freqüentes na vida de todos nós. E o pecado controla e reina ainda em nossas vidas com facilidade espantosa.

Estas coisas continuam ser assim até que Jesus irá cumprir as palavras dos anjos no Evangelho de hoje: "O mesmo Jesus que dentre vós foi assunto ao céu virá do modo como o vistes subir" (Atos 1.11).

E quando ele vier, Satanás, pecado, sofrimento e morte terão que se ir para sempre. Irão para sempre e para nosso bem embora.

Quando o Cristo que subiu ao céu vier novamente, então todos os nossos inimigos igualmente serão colocados debaixo de nossos pés para sempre, inclusive a morte, que agora nos coloca a nós e nosso amor para baixo, para dentro de uma sepultura.

"Ele está governando à direita de Deus" (versículo 2). Cristo reina em meio aos seus inimigos. A figura aqui, talvez, devesse ser a de um conquistador vitorioso, recebendo sua justa homenagem.

Quão verdadeiro isto foi para com Jesus. À Satanás, no deserto, ele falou: "Retira-te", e ele o deixou. Aos espíritos malignos nas pessoas ele comandou: "deixe-os", e eles os deixavam.

Para todos os tipos de doenças ele ordenava deixar quem as sofria e, para seu regozijo e fortalecimento, as vítimas recebiam a ordem: "se vá" e elas iam.

Sim e para a própria morte, ele disse: "Volte a vida!" e ela voltava.  Verdadeiramente Cristo Jesus ainda reina e governa em meio aos seus inimigos. É ELE QUEM TEM A ÚLTIMA PALAVRA. Palavra de vida e de força.

Assim ele também governa sobre o seu povo (versículo 3): "...". Ninguém é rejeitado de entre os seus. E todos seus soldados são voluntários na sua obra. Há alegria em meio à sua multidão e essa multidão é tão numerosa qual as gotas de orvalho cedo de manhã no verão.

Isto significa que esses voluntários estão refrigerados semelhante ao orvalho. Ou seja, recebem o orvalho das misericórdias de Deus. O apóstolo Paulo escreve: "Quem está em Cristo é nova criatura", ou seja, alguém que recebeu o refrigério para sua alma.

As coisas antigas, como o pecado, e ódio, as paixões carnais e medos terão passado. Ele é uma nova pessoa, santa e purificada.

Somos nós soldados voluntários?  Somos pessoas refrigeradas no reino do povo de Deus?

Que Deus nos ajude a dizer "sim", tanto com os lábios quanto com o coração e a vida.

E que, também, como seguidores de Cristo não sejamos obedientes ao Maligno, nem aos desejos carnais, ou também que não amaldiçoemos ou praguejemos. Mas que lembremos que Cristo foi obediente até a morte de cruz por nós, que nos ajude a ser obedientes a ele cada vez mais e melhor.

"Ele está exercendo o sumo-sacerdócio eterno" (versículo. 4). O dia da Ascensão é o Grande dia mundial de reparação. Você irá recordar, na verdade, que o Sumo-Sacerdote Hebreu, no dia da expiação, entrava no Santo dos Santos, o lugar mais sagrado do templo hebreu, e ali respingava o sangue do cordeiro sobre o assento da misericórdia, significando assim que Deus cobriria os pecados do povo com a sua graça.

Assim também Jesus, no dia da Ascensão, entrou no Templo Eterno do céu, lugar não feito por mãos humanas, conduzindo como oferta não o sangue de animais machos ou de bodes, mas seu próprio precioso sangue, derramado para a salvação de todos os homens.

Como o bom Sacerdote Cristo ora por nós. O autor aos hebreus nos conta que "está a interceder por seu povo".  

A palavra "intercede" significa "ir por entre", ou estar no meio de. É isto precisamente o que Cristo fez por nós na terra, caminhando entre Deus e nós, carregou sobre seu próprio corpo e coração as setas da ira de Deus contra o pecado.

E isto é precisamente o que Jesus ainda está fazendo por nós no céu, caminhado entre Deus e nós com suas orações, nos representando, qual advogado, junto ao senhor, fazendo o que Deus nos diz para fazer, isto é ORAR.

Semelhante ao Bom Sacerdote - Cristo entende nossas fraquezas. A exigência básica [requisito básico] de um sacerdote, diz o autor aos hebreus, que seja empático com o sofrimento e as tentações do povo a quem deve ministrar. Porque Cristo fez isto, Ele quis ser chamado nosso Sacerdote e Salvador.

O que então Jesus está fazendo agora? Ora, ele está vivendo, governando, reinando e orando por nós. Amém.

Observação: Esta mensagem foi elaborada para o dia da Ascensão do Senhor; como, porém, este dia não é feriado e a maioria dos pastores costuma abordar este tema no domingo seguinte, o presente sermão foi postado neste site para o 7º Domingo de Páscoa, para ser lido, pregado, ouvido e crido.



Oscar Martinho Zimmerman
Dois Irmăos, RS - Brasil
Igreja Evangélica Luterana do Brasil
www.ielb.org.br
E-Mail: oscarmz@terra.com.br

(zurück zum Seitenanfang)