Göttinger Predigten

deutsch English espańol
portuguęs dansk Schweiz

Startseite

Aktuelle Predigten

Archiv

Besondere Gelegenheiten

Suche

Links

Gästebuch

Konzeption

Unsere Autoren weltweit

Kontakt
ISSN 2195-3171





Göttinger Predigten im Internet hg. von U. Nembach

1ş Domingo após Pentecostes/Domingo da Trindade, 03.06.2007

Predigt zu Provérbios 8:22-31, verfasst von Horst R. Kuchenbecker

 

A SANTÍSSIMA TRINDADE

Provérbios 8.35: "O que me acha, acha a vida e alcança favor de Deus".

Hoje a cristandade celebra o dia da Santíssima Trindade. Após as grandes festas que revelam o amor de Deus: Natal, o amor de Deus Pai que nos enviou o seu Filho unigênito; Sexta-feira Santa, Páscoa e Ascensão, nas quais lembramos o grande amor sacrifical de Cristo e sua vitória sobre nossos inimigos; Pentecostes, a vinda do Espírito Santo o Consolador.     

Agora, neste segundo semestre do ano, sem festas especiais, somos convidados a continuar a refletir, de diversos ângulos, sobre este amor de Deus, conforme revelado na Bíblia pelos profetas, evangelistas e apóstolos, para fortalecimento da fé e para podermos proclamar este amor ao mundo.     

E o primeiro tema a ser focalizado é Deus, o único e verdadeiro Deus, o mistério da Trindade, una em sua essência e em três pessoas: Pai, Filho e Espírito Santo.    

Quando Deus criou os primeiros homens, ele os criou com o bem-aventurado conhecimento de Deus, perfeita justiça e santidade (imagem divina). Um conhecimento que lhes proporcionava segurança, paz, alegria e plena felicidade.

Este conhecimento se perdeu com a queda em pecado. Restou no homem, no entanto, a consciência de que existe um Deus, mas que ele não conhece mais.     

Assim é até hoje. Cada pessoa sabe, por sua consciência, que Deus existe. Ele sabe que este Deus é onipotente, onisciente, onipresente. Mesmo assim, este conhecimento tem uma dupla limitação: ele não diz ao homem onde ele poderá encontrar este Deus.

O homem vê as obras de Deus, a criação que testemunha da glória de Deus, mas ele não consegue conhecê-lo, nem se livrar da idéia da existência de Deus.

Por outro, o homem sabe que Deus é santo e justo. Sua consciência o acusa de pecado. Ele sabe também que Deus é bondoso, mas não sabe se este Deus o ama e lhe será favorável. Isto deixa o homem em constante dúvida e medo.     

Verdadeiro conhecimento de Deus e de seu amor só encontramos em Cristo, que nos revelou o Pai. "Quem me vê a mim, vê o Pai" (João 14.9). E Cristo vem a nós e se revela a nós somente na palavra de Deus, a Bíblia. .    

Há assim, de certa forma, dois conhecimentos de Deus, o da lei e do evangelho. A razão e a filosofia só podem chegar, pela consciência, ao vago conhecimento da lei. Este conhecimento é limitado. Verdadeiro conhecimento de Deus e do seu amor, somente pelo Evangelho. Fora do evangelho só há o conhecimento natural que causa pavor. Mas no Evangelho Deus revela à humanidade tanto sua pessoa como o seu amor.      

Nossos pais resumiram os ensinos bíblicos sobre Deus de forma magistral nos três Credos Ecumênicos: o Credo Apostólico, já em uso na Igreja Cristã desde o terceiro século; o Credo Niceno, formulado no Concílio de Nicéia, ano 325; e o Credo Atanasiano, formulado no ano de 451, no Concílio Calcedônio. Apesar de serem formulações humanas, eles expressam fielmente os ensinos bíblicos sobre a Santíssima Trindade.   

A Confissão de Augsburgo de 1580 se expressa assim: "Em primeiro lugar, ensina-se e mantém-se, unanimemente, de acordo com o decreto do Concílio de Nicéia, que há uma só essência divina, que é chamada Deus e verdadeiramente é Deus. E, todavia, há três pessoas nesta única essência divina, igualmente poderosa, igualmente eternas, Deus Pai, Deus Filho, Deus Espírito santo, todas três uma única essência divina, eternas, indivisas, infinitas, de incomensurável poder, sabedoria e bondade, um só criador e conservador de todas as coisas visível e invisíveis. E com a palavra persona se entende não uma parte, não uma propriedade em outro, mas aquilo que subsiste por si mesmo, conforme os Pais usaram esse termo nesta questão".   

A este Deus adoramos com a belíssima oração do Glorie Patri, dizendo: "Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo, como era no princípio, agora é e para sempre será de eternidade a eternidade. Amém".      

Agora vamos ler o texto de hoje: Provérbios 8.22-31. No livro de Provérbios, os primeiros 9 capítulos são um louvor à Sabedoria. Sabedoria que é definida com mais precisão no capítulo oitavo; 1) de v.1 a 11, proclamada; 2) v.12-21, bênção; 3) v.22-31, que é o nosso texto: personificada.

Para compreendê-lo, precisamos começar no fim, v.35 e 36: "O que me acha, acha a vida e alcança favor de Deus".

Se olhamos a Bíblia como um todo e perguntamos: Quem nos dá a verdadeira vida, a vida eterna? Há uma só resposta: Jesus Cristo. Este versículo, portanto, é a chave para a interpretação. A verdadeira sabedoria, aqui personificada, é Jesus Cristo. O texto nos fala da a) origem dela (v.22-26), b) atividade dela (v.27-30), c) sua alegria (v.30-31).

Origem da Sabedoria (v.22-26). Muitos falam hoje de Jesus como um mártir, exemplo de vida, etc. Poucos admitem ser ele verdadeiro Deus, gerado do Pai desde a eternidade. Nosso texto afirma: "O Senhor me possuía desde o início de sua obra, antes de suas obras, mais antigas. Desde a eternidade fui estabelecido" (v.21,22).

No evangelho de João lemos: "Agora glorifica-me, ó Pai, contigo mesmo, com a glória que eu tive junto de ti, antes que houvesse mundo" (João 17.5).

Por isso confessamos no Credo Niceno: "Creio em um só Senhor Jesus Cristo, Filho de Deus... verdadeiro Deus do verdadeiro Deus, gerado, não criado, de uma só substância com o Pai".

E no Credo Atanasiano: "O Pai é incomensurável, o Filho é incomensurável, o Espírito Santo é incomensurável". Isto é, não dá para medir, nem compreender. Ele é infinito. Esta verdade a respeito de Jesus, como verdadeiro Deus e co-eterno com o Pai, precisa ser mantida e confessada.

A atividade da Sabedoria (v. 27-30). "Quando ele preparava os céus, aí estava eu. Eu estava com ele e era seu arquiteto" (v.30). O apóstolo João descreve: "Todas as coisas foram feitas por intermédio dele, e sem ele nada do que foi feito se fez". (João 1.3). O apóstolo Paulo afirma: "Pois nele foram criados todas as coisas, nos céus e sobre a terra, visíveis e os invisíveis, sejam tronos quer potestades. Tudo foi criado por meio dele e para ele" (Colossenses 1.16).

Grande é o Senhor e digno de ser louvado!

A alegria da Sabedoria (v.30-31). "Regozijando-me no seu mundo habitável e achando as minhas delícias com os filhos dos homens" (v.31). Deus criou tudo para sua glória. "Viu Deus tudo quanto fizera e eis que era muito bom" (Gênesis 1.31). Deus se alegrou em sua criação e especialmente na criação dos homens, feitos a sua imagem.

Infelizmente a queda em pecados destruiu esta santidade e trouxe a maldição de Deus e a morte sobre toda a criação. Mas o amor de Deus para com a humanidade encontrou um caminho para salvá-la. Com amor sacrifical, Cristo redimiu a humanidade.

Nesta pequena frase: "Achando as minhas delícias com os filhos dos homens" (v.31) está expresso o amor de Deus para com a humanidade até hoje. Deus não tem prazer na morte do ímpio, mas quer que todos se convertam e cheguem ao conhecimento da verdade e sejam salvos.     

Um dia, quando virá para julgar vivos e mortos, manifestará toda sua glória.    

A sabedoria é Jesus, a respeito de quem o apóstolo escreveu: "Em Cristo Jesus, o qual se tornou da parte de Deus sabedoria, e justiça, e santidade, e redenção" (1 Coríntios 1.30).

A ele seja, pois, toda a honra e todo o louvor. E uma das melhores maneiras de expressar nosso louvor à Trindade em Cristo é pelo canto ou recitação do Glória in Excelsis:

"Glória a Deus nas alturas e paz na terra entre os homens, a quem ele quer bem. Ó Senhor Deus, Rei dos céus, Deus Pai todo-poderoso: a ti glorificamos e rendamos graças por tua grande glória. Ó Senhor, Filho unigênito, Jesus Cristo! Ó Senhor Deus, Cordeiro de Deus, Filho do Pai, que tiras o pecado do mundo, Tem misericórdia de nós. Tu, que tiras o pecado do mundo, aceita a nossa súplica de Tu, que estás sentado à direita do Pai, tem misericórdia de nós. Pois só tu és o Santo, só tu és o Senhor, só tu és o Altíssimo, Jesus Cristo, com o Espírito Santo, na glória de Deus Pai. Amém". Amém.



Horst R. Kuchenbecker
Săo Leopoldo, RS - Brasil
www.ielb.org.br
E-Mail: horstrk@cpovo.net

(zurück zum Seitenanfang)