Göttinger Predigten

deutsch English español
português dansk Schweiz

Startseite

Aktuelle Predigten

Archiv

Besondere Gelegenheiten

Suche

Links

Gästebuch

Konzeption

Unsere Autoren weltweit

Kontakt
ISSN 2195-3171





Göttinger Predigten im Internet hg. von U. Nembach

6º Domingo da Páscoa , 05.06.2011

Predigt zu Gênesis 2:4b-15, verfasst von Luis Henrique Sievers

 

Querida Comunidade!

Hoje é Dia Mundial do Meio Ambiente. É um tema que desafia toda a humanidade dos nossos dias. O aquecimento global, as mudanças climáticas, as catástrofes naturais e a poluição nos fazem pensar sobre os cuidados que devemos ter com o nosso planeta. Nos últimos anos, o Brasil, esse país "abençoado por Deus e bonito por natureza", como diz a canção, também sofreu uma série de enchentes, inundações e secas. Todos esses acontecimentos são um desafio para a nossa consciência ecológica e um clamor por um maior compromisso dos cristãos, a partir da fé, com a preservação da boa criação de Deus.

Confessamos, no primeiro artigo do Credo Apostólico, que a ação criadora de Deus dá vida, existência a tudo, nos céus e na terra. O livro de Gênesis, no seu capítulo 1, registra que essa ação criadora de Deus é boa: "E Deus viu que tudo o que havia feito era muito bom." (Gn 1.31) Em Gênesis 2.4b-15, texto base para a prédica de hoje, Deus aparece como um bom jardineiro, que sabe trabalhar com a terra, a água e as plantas para formar um lindo jardim. Éden é o nome desse jardim, que significa delícias. Segundo esse texto, o ser humano é ser vivente graças ao sopro de Deus em suas narinas. A ele Deus confiou essas delícias da sua criação: "Então o Senhor Deus pôs o homem no jardim do Éden, para cuidar dele e nele fazer plantações." (Gn 2.15) É justamente essa tarefa de cuidar da boa criação de Deus que o Dia Mundial do Meio Ambiente quer reforçar.

Depois da queda, da desobediência do primeiro casal, o ser humano tem tido muita dificuldade de cuidar e preservar para si e para as futuras gerações as delícias da criação de Deus. Nesse país "abençoado por Deus e bonito por natureza", também se podem notar os descuidos, a desobediência do ser humano. Os desmatamentos e as queimadas, por exemplo, especialmente na Amazônia, são responsáveis por 75% da emissão de CO2 (gás carbônico). Nas grandes cidades do país, esgoto e lixo orgânico são despejados nos rios, lagos e mares sem nenhum tratamento. Para se ter uma ideia do estrago que isso produz, um litro de esgoto consome de 200 a 300 miligramas de oxigênio, ou seja, o mesmo que 22 litros de água. Uma única pilha usada jogada em local inadequado pode poluir 3 mil litros de água ou ficar por 50 anos espalhando material tóxico no solo.

Sem dúvida, segundo as palavras do apóstolo Paulo, "sabemos que toda a criação, a um só tempo, geme e suporta angústias até agora... E não somente ela, mas também nós..." (Rm 8.22 e 23) Como em dores de parto, precisamos parir uma nova realidade, um novo jeito de lidar com a criação de Deus. Um jeito que seja responsável e corresponda à tarefa que Deus mesmo nos deu: de cuidar da sua boa criação, das suas delícias.

O apóstolo Paulo não tem dúvidas de que por Cristo e em Cristo tudo foi criado, no céu e na terra. E também por sua obra redentora Deus reconciliou consigo todas as coisas (Cl 2.15-20). Agora, reconciliado com Deus, o ser humano é chamado a dar frutos no cuidado da Criação. Um exemplo bem prático e motivador é a campanha de coleta de lixo eletrônico, organizada pelo grupo de diaconia da nossa Comunidade. Cada um de nós pode trazer o seu lixo eletrônico para a igreja e depositá-lo nos recipientes próprios para isso. O material do tema da IECLB para o ano de 2011 " Paz na Criação de Deus - Esperança e Compromisso" é um importante instrumento para a reflexão nos mais variados grupos da nossa Comunidade.

A consciência ecológica e o compromisso com o cuidado da criação de Deus são urgentes! Somos seres vivos dependentes uns dos outros. Quando o meio ambiente perde, perde o ser humano. Quando o meio ambiente ganha, ganha também o ser humano, sobretudo em qualidade de vida. Martim Lutero, interpretando o primeiro artigo do Credo, escreve: "Creio que Deus me criou a mim e a todas as criaturas (...) Supre-me abundante e diariamente de todo o necessário para o corpo e a vida (...) E tudo isso faz unicamente por sua paterna e divina bondade e misericórdia, sem nenhum mérito ou dignidade da minha parte."

Amém.



P. Luis Henrique Sievers
Lajeado/RS, Brasil
E-Mail: luishenrique.sievers@yahoo.com

(zurück zum Seitenanfang)