Göttinger Predigten

deutsch English español
português dansk Schweiz

Startseite

Aktuelle Predigten

Archiv

Besondere Gelegenheiten

Suche

Links

Gästebuch

Konzeption

Unsere Autoren weltweit

Kontakt
ISSN 2195-3171





Göttinger Predigten im Internet hg. von U. Nembach

4. Domingo apos Pentecostes, 24.06.2007

Predigt zu Salmo / Psalm 32:1-5, verfasst von Lindolfo Pieper

CONFISSÃO DE PECADOS

Salmo 32.1-5: "Bem-aventurado aquele cuja iniqüidade é perdoada, cujo pecado é apagado. Bem-aventurado o homem a quem o Senhor não atribui iniqüidade e em cujo espírito não há dolo. Enquanto calei os meus pecados, envelheceram os meus ossos pelos meus constantes gemidos todo o dia. Porque a tua mão pesava sobre mim, e o meu vigor se tornou em sequidão de estio. Confessei-te o meu pecado e a minha iniqüidade não mais ocultei. Disse: confessarei ao Senhor as minhas transgressões; e tu perdoaste a maldade do meu pecado".  

Certa vez um pastor não tinha nada que fazer, pegou o seu binóculo e começou a olhar para o campo. De repente ele viu uma mulher da sua congregação roubando milho. Ela ia ao monte do vizinho, pegava um balaio de milho e o despejava no monte dela. Assim ela trabalhou a tarde toda, até que o seu monte ficou bem grande.     

No outro dia o pastor se encontrou com aquela senhora e falou para ela que ela havia roubado milho do vizinho. E a mulher ficou braba, começou a negar e a dizer que ninguém podia provar isso. Mas o pastor insistiu, dizendo que não adiantava ela negar, porque ele tinha certeza disso.   

Quando a mulher viu que não adiantava ela negar, perguntou ao pastor como é que ele sabia disso. E o pastor respondeu: "É que eu vi com os meus binóculos, quando estava olhando ontem à tarde pela varanda da minha casa". E o pastor então concluiu: "Eu vi com os meus binoculozinhos, por acaso. Mas há alguém com os binóculos do tamanho do mundo, que vê tudo, mesmo quando o pastor não possa ver".    

E a mulher naquele dia aprendeu a lição: que não adiante querer esconder o pecado, pois se o pastor não vê, Deus está vendo

Nós podemos esconder os nossos pecados dos homens, mas não de Deus. O pastor, embora, algumas vezes, descobre alguma coisa, não sabe tudo. Mas Deus, a quem devemos prestar contas, esse vê tudo.    

Ele vê quando os cristãos vivem secretamente em pecado, quando um casal de jovens vive como se estivesse casado, quando o marido engana a esposa ou quando alguém comete adultério. Ele vê quando os jovens freqüentam lugares indecentes, quando os homens passam a noite inteira em portas de venda jogando e bebendo. Ele também vê quando alguém usa de desonestidade, quando alguém fala mentira ou quando alguém dá mais valor às coisas do mundo do que às coisas de Deus.      

Sim, Deus vê estas e muitas outras coisas que os cristãos estão fazendo, mesmo às escondidas. Não só vê, mas está pronto a castigar, a repreender e a tornar público esses pecados, para a vergonha dos que os cometem.    

Todos conhecem a história do grande rei Davi. Davi foi um dos maiores reis na história do povo de Israel. Ele era um homem justo e temente a Deus. Mas um dia ele caiu em um grande pecado.

Aconteceu assim. Davi estava certa vez no terraço de sua casa aquecendo-se no sol quando ele viu, em uma casa vizinha, uma mulher tomando banho. Como a achasse muito bonita, mandou perguntar quem era essa mulher, e lhe informaram que era Bate-Seba, mulher de Urias.

Então o rei mandou que a trouxessem à sua casa e ele se deitou com ela, depois a mandou embora. Dias depois ela manda informar ao rei que está grávida, que é para ele tomar as devidas providências.

Então o rei comete um pecado maior ainda: manda matar a Urias, marido desta mulher, que estava no campo de batalha, para que este não ficasse sabendo do seu adultério com a Bate-Seba. Assim Davi procurou encobrir o seu pecado com um outro pecado maior ainda.

Davi achava que pelo fato de ninguém ter visto ele cometer adultério com a mulher de Urias, ninguém  iria ficar sabendo do seu pecado; portanto, ele podia ficar tranqüilo.

Mas ele estava enganado. Deus havia visto. Deus sabia de tudo o que tinha acontecido e estava preparado para dar um golpe muito duro na sua vida.

Eis que certo dia, quando Davi menos esperava, ele recebe uma visita. Era do profeta Natã. Natã o cumprimenta e logo começa a contar uma história.

Diz ele o seguinte: Havia um certo homem muito rico, dono de muitas terras, ovelhas e gado. Havia também um homem pobre, que não tinha nada, senão uma cordeirinha que comia junto com os seus filhos, dormia nos seus abraços, a qual tinha como filha.

Certo dia o rico recebeu uma visita muito importante e resolveu fazer um banquete para ele, matando uma ovelha. Em lugar de pegar uma de suas muitas ovelhas que tinha no pasto, ele vai e pega a ovelhinha do pobre e a prepara para a refeição.

Quando Davi houve essa história, a sua ira se acende contra o rico, e diz: "Tão certo como eu vivo, o homem que fez isso deve ser morto. E pela cordeirinha restituirá quatro vezes mais, porque fez tal coisa e não se compadeceu do pobrezinho".

Então Nata respondeu a Davi: "Você é o homem. Você fez o que o homem rico fez. Você, o rei de Israel, dono de tudo, rouba a única mulher do pobre Urias e ainda lhe tira a vida. Você acha que ninguém viu isso? Deus viu e vai lhe castigar duramente por causa desse seu pecado".

Quantas pessoas não procedem como o rei Davi. Vivem em pecado, fazem coisas erradas aqui, outra ali, e seguem tranquilamente a sua vida. Uns cometem adultério, outros usam de desonestidade, aproveitando-se do próximo; outros ainda falam mentiras, ingerem drogas, e acham que não tem problema, pois ninguém está vendo o que estão fazendo.

Há pessoas que fazem o que bem entendem, desde que ninguém esteja vendo, tudo é válido.

Alguém, tempos atrás, me disse uma coisa que me deixou muito chocado. Ele disse: "Pastor, muitas pessoas acham que o senhor é que é o deus delas. Quando estão na sua presença, elas andam direitinhas. Mas, quando o senhor não está vendo, elas vivem atoladas no pecado. O medo que elas têm não é de Deus, mas sim do pastor".

Essa pessoa disse a verdade, pois já vi isso com os meus próprios olhos. Certa vez eu estava passando em frente de um boteco, onde tinha uma pessoa da congregação bebendo. Quando ela me viu, empurrou o copo de um lado, virou o pescoço para o outro lado e fez de conta que não era ele que estava ali.

Essas pessoas, que fazem isso, se enganam. Enganam-se por que não é a homens que temos de prestar contas, mas sim a Deus. Elas podem muito bem esconder os seus pecados dos homens, mas não de Deus.

Porque Deus tudo vê, tudo conhece e sabe o que estamos fazendo. E ele, cedo ou mais tarde, nos chamará para prestar contas daquilo que fizemos. Lemos no livro de Salmos, capítulo 139: "Senhor, tu me sondas e me conheces. Sabes quando me assento e quando me levanto; de longe penetras os meus pensamentos. Esquadrinhas o meu andar e o meu deitar, e conheces todos os meus caminhos".

De não só vê, mas está pronto a castigar, a repreender e a tornar público esses pecados, para a vergonha dos que os cometem.

O rei Davi foi duramente castigado por Deus. Primeiro Deus tirou o filho que ele havia gerado em pecado. Depois Deus fez com que a sua casa se tornasse num verdadeiro inferno, em que os filhos brigavam entre si e as suas mulheres se prostituíam à sua vista.

O seu próprio filho, de nome Absalão, se revoltou contra o seu pai, querendo matá-lo, e acabou morrendo pendurado num galho de árvore. Um outro filho,  de nome Amon, estragou a sua irmã Tamar, adulterando-se com ela, o qual acabou sendo morto pelo próprio irmão.

Cumpriu-se assim na sua vida o que o Senhor lhe havia falado através do profeta Natã: "Por que, pois, desprezaste a palavra do Senhor, fazendo o que era mau perante ele? A Urias, o heteu, feriste a espada; e a sua mulher tomaste por mulher depois de matar com a espada dos filhos de Amon. Agora, pois, não se apartará a espada jamais de tua casa, porquanto me desprezastes e tomaste a mulher de Urias, o heteu, para ser a tua mulher. Assim diz o Senhor: Eis que da tua própria casa suscitarei o mal sobre ti e tomarei as tuas mulheres à tua própria vista, e as darei ao teu próximo, o qual se deitará com elas, em plena luz do sol. Porque tu o fizeste em oculto, mas eu farei isto perante todo o Israel em plena luz do dial" (2 Samuel 12.9-12).

Assim também vão ser castigados todos aqueles que se dizem cristãos, mas vivem em pecado, quer oculto ou publicamente. Deus, com os binóculos do tamanho do mundo, está vendo o que cada um está fazendo. E, como o rei Davi, ele promete castigar todo aquele que vive em pecado e procura encobrir os seus erros, achando com isso enganar a Deus.

Sim, coisa horrível é viver em pecado, achando isso uma coisa normal, como se Deus não ligasse para nada.

Porém, coisa mais horrível ainda é ocultar-se de Deus, querendo esconder o seu pecado de dele. O castigo de Deus vem aí. Diz a palavra de Deus em Hebreus 10: "Porque, se vivermos deliberadamente em pecado, depois de termos recebido o pleno conhecimento da verdade, já não resta sacrifício pelos pecados; pelo contrário, certa expectação horrível de juízo e fogo vingador prestes a consumir os adversários. Horrível coisa é cair nas mãos do Deus vivo".

Mas, há um consolo. O mesmo Deus que promete castigar o pecado, também perdoa. E o seu perdão é maior do que qualquer pecado. Diz a palavra de Deus: "Onde abundou o pecado, superabundou a graça de Deus" (Romanos 5.20)

Davi, enquanto escondeu o seu pecado não tinha paz, nem sossego. Ele sentia na carne o pecado que o separava de Deus, tornando-o infeliz. Era como se os seus ossos estivessem esmagados, como se a sua carne tivesse sido moída e o seu espírito tivesse envelhecido. Ouçam o que ele próprio diz no livro dos Salmos, capítulo 32 e 38: "Enquanto calei os meus pecados envelheceram os meus ossos pelos meus constantes gemidos todo o dia, porque a tua mão pesava sobre mim dia e noite e o meu vigor se tornou em sequidão e estio. Cravam-se em mim as tuas setas, e a tua mão pesava sobre mim. Não há parte sã na minha carne, por causa da tua indignação. Não há saúde nos meus ossos, por causa do meu pecado, pois se elevam acima da minha cabeça as minhas iniqüidades; como fardos pesados excedem as minhas forças. Tornam-se infectas e purulentas as minhas chagas, por causa da minha loucura".

O pecado que ele cometeu o tornara tão desgraçado e infeliz, que ele chegou a ficar doente, caindo numa depressão profunda.

Mas foi só ele reconhecer o seu erro e confessar o seu pecado a Deus para que Deus o perdoasse e alegria voltasse novamente ao seu coração. Assim lemos em 2 Samuel 12.13: "Então disse Davi a Natã: Pequei contra o Senhor. Disse Natã a Davi: Também o Senhor te perdoou p teu pecado, não morrerás".

Assim Deus procede ainda hoje. Ele tem perdão para todos, independentemente do tipo de pecado que cometeu: se grande ou pequeno, se grosseiro ou disfarçado. Porém só recebe o perdão de Deus aquele que reconhece o seu pecado e o confessa a Deus, na certeza de ser perdoado.

Enquanto uma pessoa ficar escondendo o seu pecado, ela está sob a condenação de Deus. Mas, quando ela reconhece o seu erro e o confessa a Deus, Deus a perdoa. Lemos em 1 João 1.8,9: "Se dissermos que não temos pecado nenhum, a nós mesmos nos enganamos e a verdade não está em nós. Mas se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar todos os pecados e nos purificar de toda a injustiça".

Por isso, sabendo Deus vê tudo o que fazemos, não procuremos esconder os nossos pecados, mas confessemo-los a Deus em sincero arrependimento, para que ele nos possa perdoar. Lembremos-nos que não há promessa de perdão para pecados não confessados, omitidos propositalmente.

De outro lado, há muitas bênçãos para quem reconhece diariamente os seus erros e os confessa a Deus. Além do perdão de Deus temos ainda a paz da alma, a alegria de viver e alívio de consciência. Diz o salmista Davi: "Bem-aventurado aquele cuja iniqüidade é perdoada, cujo pecado é coberto". E o apóstolo completa em Romanos 5: "Perdoados dos pecados, temos paz com Deus por meio de nosso Senhor Jesus Cristo".

Sim, felizes somos nós, eu e você, se de fato aprendermos a confessar os nossos pecados a Deus: Deus nos perdoará e uma paz muito grande inundará o nosso coração.

Por isso a nossa constante oração: "Crie em mim, ó Deus, um puro coração e renove em mim um espírito reto. Não me lances fora da tua presença e não retires de mim o teu Espírito Santo. Torna a dar-me a alegria da tua salvação e sustém-me com um voluntário espírito". Amém.

 

 

 

 



Lindolfo Pieper
Jaru RO - Brasil
E-Mail: piperlin@uol.com.br

(zurück zum Seitenanfang)