Göttinger Predigten

deutsch English español
português dansk Schweiz

Startseite

Aktuelle Predigten

Archiv

Besondere Gelegenheiten

Suche

Links

Gästebuch

Konzeption

Unsere Autoren weltweit

Kontakt
ISSN 2195-3171





Göttinger Predigten im Internet hg. von U. Nembach

7º Domingo após Pentecostes, 15.07.2007

Predigt zu Isaías 66:10-14, verfasst von Horst reinhold Kuchenbecker

  

CONSOLO, PAZ E ESPERANÇA

Jerusalém cidade das religiões; hoje, um grande centro turístico. Ali se desenrolaram os grandes feitos do amor de Deus, por seu unigênito Filho, Jesus Cristo. Jerusalém é, hoje, também o nome simbólico do povo de Deus, da Igreja Cristã.

Nosso texto é um dos mais consoladores do profeta. O profeta Isaías anuncia a grande obra da salvação, a esperança de Israel, que Deus realizará em Jerusalém. Como símbolo de capital espiritual, Jerusalém é fonte de: 1) Sustento, 2) Paz, 3) Consolo e 4) Alegria.

 I - O Texto. O profeta vê o tempo de Jesus. Profetiza sobre a volta do cativeiro, o reergueram do templo, a instituição das cerimônias. Mas para muitos, mesmo no mais rigoroso cumprimento das leis cerimoniais no templo, faltava o verdadeiro temor de Deus e conseqüentemente a verdadeira fé. Um povo maduro para novo juízo.

De repente "Ouve-se voz de grande tumulto" (v.6). Castigo e graça lado a lado. Deus realiza a salvação. Os zombadores, este culto falso das cerimônias e obras será castigado, Jesus expulsa os vendedores no templo, e Deus realiza a salvação. Nasce, pela obra redentora de Cristo, a Igreja do Novo Testamento. É tempo de júbilo, por este nascimento.

Esta salvação deverá ser proclamada no mundo inteiro. "Ide fazei discípulos de todas as nações..." (Mt 28.19). Da Jerusalém espiritual fluem as grandes bênçãos de Deus para a humanidade: júbilo, paz, consolo e alegria.

II - As bênçãos que fluem de Jerusalém. "Regozijai-vos juntamente com Jerusalém, e alegrai-vos por ela, vós todos os que a amais; exultem com ela, todos os que por ela pranteastes".

Quando Jerusalém foi castigada por Deus por causa de incredulidade e de seus pecados e levada ao cativeiro babilônico, os poucos fiéis prantearam em arrependimento e súplicas por ela. Pediram misericórdia e restabelecimento. Apegaram-se às promessas e permaneceram fiéis. Eles verão e se alegrarão com a restauração de Jerusalém e desfrutarão o consolo que dela emana, a saber, a proclamação do evangelho, por amor a Jesus. 

Para descrever a felicidade, o profeta usa quadros consoladores da vida.

2.1. Sustento. - "Para que mameis, e vos farteis dos peitos das suas consolações; para que sugueis, e vos deleiteis com a abundância da sua glória" (v.11).

Como uma mãe amamenta o seu filho e este tem alimento em abundância, assim Deus alimenta o seu povo com o consolo de sua graça, do perdão dos pecados. Ele concede estes dons por palavra e sacramentos.

A Escritura fala deste alimento. Deus a ordenou a Pedro: "Apascenta as minhas ovelhas" (Jo 21,15,17). "Trabalhai, não pela comida que perece, mas pela que subsiste para a vida eterna, a qual o Filho do homem vos dará" (Jo 6.27). "Leva-me para junto das águas de descanso, refrigera a minha alma" (Sl 23.3).

Temos este alimento em Palavra e sacramentos, que Deus nos dá em grande abundância. Temos a Bíblia, Catecismos, Confissões, devocionários, livros com estudos bíblicos. Sugai! Estamos aproveitando tudo isso?

2.2. Paz. - "Eis que estenderei sobre ela a paz como um rio, e a glória das nações como uma torrente que transbordar" (v.12). Atualmente, por mais Shalom e Paz inscritos em Jerusalém e em todo o mundo, não há paz. Mas a Igreja Cristã tem a verdadeira mensagem de paz.

É a paz que nos anuncia o perdão dos pecados, a paz com Deus que Cristo nos conquistou por sua morte na cruz, sua vitória sobre nossos inimigos por sua gloriosa ressurreição e subida aos céus, de onde governa com perdão a sua Igreja.

Esta mensagem de paz, afirma o profeta, vem sobre nós como "as águas de um rio cheio" que inunda tudo. A palavra "paz" é usada muito no AT e NT. Jesus disse a seus discípulos: "Deixo-vos a paz, a minha paz vos dou; não vo-la dou como a dá o mundo. Não se turbe o vosso coração, nem se atemorize" (Jo 14.27). O salmista afirma: "Grande paz têm os que amam a tua lei" (Sl 119.165).

E aos setenta que Jesus enviou para uma missão especial, ele ordenou, ao entrardes numa casa anunciai-lhes: "Paz seja nesta casa" (Lc 10.5). A consciência perturbada encontra paz na mensagem do perdão, pela graça de Cristo.

2.3. Consolo. - "Como alguém a quem sua mãe consola, assim eu vos consolarei; e em Jerusalém vós sereis consolados" (v.13). A paz, de que nossos pecados são perdoados por Deus, por amor a Cristo, dá aos fiéis um consolo profundo, que subsiste em todos os problemas desta vida e nas situações mais cruéis.

Quando doenças, dores, perseguição, pobreza se abatem sobre nós; quando surgirem no coração perguntas: Por que a mim? Será que Deus me ama ... consolados responderemos como o apóstolo Paulo: "Quem nos separará do amor de Cristo?" (isto é, o que nos levará a duvidar do amor de Cristo a nós?); e, respondemos: "Nada nos  poderá separa do amor de Deus que está em Cristo Jesus nosso Senhor" (Rm 8.35-39). Ou como diz o salmista: "Ainda que eu ande no vale da sombra da morte, não temerei mal nenhum, porque tu estás comigo; a tua vara e o teu cajado me consolam" (Sl 23.4). "Até a vossa velhice eu serei o mesmo e ainda até as cãs eu vos carregarei; já o tenho feito. Levar-vos-ei pois, carregar-vos-ei e vos salvarei" (Is 64.4).

A Igreja é o único lugar onde encontramos verdadeiro consolo e esperança.

2.4. Alegria. - "Vós o vereis e o vosso coração se regozijará, e os vossos ossos revigorarão como a erva tenra; então o poder do Senhor será notório aos seus servos, e ele se indignará contra os seu inimigos" (v.14).

A segurança deste amor de Deus produz nos fiéis grande alegria e regozijo. "Alegrem-se por vossos nomes estarem inscritos no livro da vida" (Lc 10.20). Cristãos, mesmo derramando lágrimas, estão consolados, alegres e esperançosos do novo céu e da nova terra. Confessam alegres: "Creio na remissão dos pecados, na ressurreição da carne e na vida eterna".

Ao mesmo tempo o texto fala do juízo sobre todos os que rejeitam este amor de Deus revelado em Cristo.

Que Deus nos guarde da incredulidade e nos fortaleça na fé. Nós, de nossa parte, queremos apegar-nos à sua palavra, ler, ouvir, estudar, mover no coração e proclamar esta verdade consoladora. Amém

 

 



Horst reinhold Kuchenbecker
São Leopoldo, RS ? Brasil
E-Mail: horstkuchenbecker@gmail.com

(zurück zum Seitenanfang)