Göttinger Predigten

deutsch English español
português dansk Schweiz

Startseite

Aktuelle Predigten

Archiv

Besondere Gelegenheiten

Suche

Links

Gästebuch

Konzeption

Unsere Autoren weltweit

Kontakt
ISSN 2195-3171





Göttinger Predigten im Internet hg. von U. Nembach

12º Domingo após Pentecostes, 19.08.2007

Predigt zu Gênesis 12:1-3; 15:1-6, verfasst von Lindolfo Pieper

DEUS NOS ABENÇOA PARA SERMOS BÊNÇÃOS

Gênesis 12.1,2: "Ora, disse o Senhor a Abraão: Sai da tua terra, da tua parentela e da casa de teu pai, e vai para a terra que te mostrarei. De ti farei uma grande nação, e te abençoarei, e te engrandecerei o nome. Sê tu uma bênção".

O repórter de um grande jornal saiu pelas ruas da cidade perguntando as pessoas que encontrava pela frente porque elas viviam, qual o objetivo de sua vida. E ele constatou, surpreso, que a maioria das pessoas viviam sem propósito e sem objetivo.

Uns responderam dizendo que viviam para gozar a vida. Outros disseram que viviam para fazer o bem. Outros ainda disseram que não viam nenhum sentido na sua vida, viviam porque estavam vivos.

Mas bem diferente é a resposta do cristão. O cristão sabe que ele foi formado por Deus e que Deus teve um propósito ao colocá-lo no mundo. Por isso ele diz: "Eu vivo para servir a Deus, para fazer a sua vontade aqui neste mundo".

E foi exatamente com este objetivo que Deus criou o homem: para ser uma bênção. Deus criou o homem para que ele fosse uma coisa útil neste mundo, para servir de bênção para ele.

Sabemos que com queda em pecado o homem perdeu esse objetivo, ele se tornou inútil para Deus. Mas Cristo, com o seu padecimento e morte, recuperou novamente o homem, comprando-o para Deus. Assim lemos em 1 Coríntios 6.20: "Porque fostes comprados por preço. Agora, pois, glorificai a Deus em vosso corpo".

Agora homem pode novamente servir a Deus, ser uma bênção para ele e o glorificar na sua vida.

O homem agora é uma bênção. Não vive mais apenas para si mesmo. Agora ele serve a Deus e ao próximo. Serve ao próximo fazendo o bem a todos, ajudando aos outros no que puder. Para isso ele usa a sua boca, para defender, falar bem e aconselhar o próximo. Ele usa também o seu dinheiro, o seu tempo e tudo quanto tem para ajudar ao que está em necessidade.

Por isso todo mundo gosta dele, pois todos sabem que ele é cristão e, a exemplo de Jesus, ele ama e ajuda aos outros.

O homem agora, comprado por preço, é também uma bênção para Deus. Ele agora, em gratidão a Deus, procura fazer tudo o que agrada ao Senhor. Para isso ele usa a sua boca, o seu tempo, o seu dinheiro, enfim: tudo o que tem, para servir ao Senhor.

Ele, para agradar a Deus, evita todo e qualquer tipo de pecado, pois sabe que Deus não se agrada disso. Ele, para agradar a Deus, lê a Bíblia, vai aos cultos, para ali ouvir os conselhos de Deus e o agradecer pelas suas bênçãos.

Ele, para agradar a Deus, se esforça especialmente para ganhar almas para Cristo, pois sabe que o grande desejo de Deus é que todos sejam salvos e cheguem ao pleno conhecimento da verdade.

Para isso ele usa o seu dinheiro e o oferta para a igreja, a fim de que ela pregue o evangelho. Mas ele não para por aí: ele mesmo vai e fala aos outros de Cristo, dá testemunho de sua fé e convida os seus amigos e vizinhos para assistir os trabalhos da igreja.

Sim, o cristão redimido com o sangue de Jesus, sabe que ele é o sal da terra e a luz do mundo. Como sal ele tempera esse mundo, faz com que ele ainda se torne suportável aos olhos de Deus.

E como luz ele reflete, como um espelho, a Cristo em sua vida. Ele deixa a luz de sua fé brilhar para que as pessoas que o rodeiam possam ver o seu cristianismo e assim glorifiquem ao seu Pai que está no céu.

E quando o homem assim o faz, isto é, se torna uma bênção para Deus e para o próximo, então Deus o abençoa. Foi o que aconteceu com Abraão.

Abraão vivia entre um povo incrédulo, pagão e idólatra. Mas Deus o escolheu e o separou para ser uma bênção para ele. Deus pediu que ele abandonasse a casa de seus pais com todos os seus pecados e fosse para uma terra distante.

A intenção de Deus ao fazer isso era abençoar Abraão. Abraão só precisava fazer uma coisa: ser uma bênção. Lemos em Gênesis 12: "Ora, disse o Senhor a Abraão: Sai da tua casa, da tua parentela e da casa de teu pai, e vai para a terra que eu te mostrarei. De ti farei uma grande nação, e te abençoarei, e te engrandecerei o nome. Sê tu uma bênção".

E Abraão fez conforme Deus lhe ordenou. Deixou os seus pais, a sua terra natal e foi para uma terra distante que Deus lhe indicou. E lá Abraão foi uma grande bênção.

Lá ele ajudou os outros, dando-lhes bons conselhos e repartindo com eles os seus bens. Lá ele deu testemunho de sua fé, falou de Deus aos outros e fez a sua luz brilhar. Lá ele armou altares, construiu igrejas e anunciou a palavra de Deus. Lá, por causa disso tudo, do seu bom exemplo, ele se tornou uma pessoa respeitada, admirada por todos e destacada na sociedade.

E Deus, por Abraão ter sido uma pessoa útil nas suas mãos, o abençoou grandemente, tanto material como espiritualmente. Lhe deu muito gado, ovelhas, terras, dinheiro e empregados. Deu-lhe também muitos amigos, bom nome e posição de destaque na sociedade. Deus abençoou tanto a Abraão que ele se tornou na figura mais importante da sua época.

Também espiritualmente Deus o abençoou. Entre outras coisas, mencionamos a Jesus, nascido da descendência de Abraão.

E assim Deus promete abençoar a todos aqueles que procuram fazer a sua vontade, que de fato são uma bênção aqui neste mundo. Deus promete abençoar a sua família, os seus bens, o seu trabalho e a sua vida.

Quando, porém, o homem despreza a Deus, não o serve e nem quer fazer a sua vontade, Deus então o abandona, rejeita e destrói, como o fez no Dilúvio, na Torre de Babel e com Nabucodonozor.

É porque então o homem perdeu o seu objetivo, o seu propósito, e não mais tem sentido para Deus aqui neste mundo. Lemos em Hebreus 6.7,8: "Pois a terra que recebe a chuva, que muitas vezes cai sobre ela, e que produz plantas que são úteis para os seus donos, é abençoada por Deus. Mas a terra que produz espinhos e ervas más, não serve para nada. Poderá ser amaldiçoada por Deus, e queimada".

Aqui Deus compara a vida do ser humano com uma planta. Quando a planta é boa e produz, o lavrador se agrada dela, a molha, capricha para que produza mais ainda. Mas se ela é mato, além de não produzir nada só prejudica, o seu dono então a corta e a lança no fogo para ser queimada.

Assim diz Deus que ele faz com o ser humano: se ele faz coisas boas e é uma bênção aqui no mundo, Deus o abençoa. Mas se ele só faz coisas más e é uma praga aqui na terra, então Deus o amaldiçoa. Diz Lutero na Conclusão dos Mandamentos: "Deus ameaça castigar todos os que transgridem os seus mandamentos; por isso devemos temer a sua ira e não transgredi-los". E ele então acrescenta, dizendo: "Mas ele promete graça e todo o bem aos que os guardam. Por isso mesmo devemos amá-lo, confiar nele e de boa vontade cumprir os seus mandamentos".

Muitas pessoas já foram uma bênção muito grande para os outros aqui no mundo; e foram, conseqüentemente, muito abençoados por Deus. Outras foram e estão sendo uma verdadeira praga aqui na terra e serão conseqüentemente amaldiçoadas por Deus.

Quantas pessoas, em vez de ser uma bênção para os outros, são uma verdadeira peste neste mundo: se intrometem na família alheia, roubam do próximo, lançam desaforos na sua cara, provocam, inventam mentiras. Enfim: transformam o mundo num verdadeiro inferno.

Infelizmente até mesmo muitas pessoas que se dizem cristãs ajudam a estragar este mundo. Em vez de ser sal da terra e luz do mundo, se tornam em maldição para os outros e atrapalham a obra de Deus aqui na terra.

E há pessoas que não têm nenhum compromisso com a igreja, que pouco ligam se estão atrapalhando o trabalho da igreja com a sua vida escandalosa ou não. Então apenas interessadas em satisfazer os seus desejos carnais e interesses egoístas.

E essas pessoas, que assim procedem, querem que Deus as abençoe. Mas, como é que Deus vai abençoar uma pessoa que não mostra nenhum interessa pelas coisas sagradas, que apenas prejudica a sua obra aqui na terra com o seu mau testemunho? Se Deus o fizesse, estaria com isso aprovando a sua atitude e apoiando a sua vida pecaminosa.

E quantas vezes nós também não procedemos assim. Vivemos como bem entendemos, sem ligar se a nossa vida escandaliza ou não os outros, e queremos que Deus nos abençoe.

Irmãos e Irmãs. Se quisermos ser felizes devemos fazer o que Deus pede: ser uma bênção para ele aqui neste mundo.

E se de fato assim o fizermos, isto é: se formos realmente uma bênção aqui neste mundo, podemos ter a certeza de que Deus nos abençoará, assim como ele abençoou a Abraão.

Sejamos, pois, pela fé em Cristo, uma bênção: na igreja, no trabalho e no lar, que Deus nos abençoará.



Lindolfo Pieper
Jaru, RO ? Brasil
E-Mail: piperlin@uol.com.br

(zurück zum Seitenanfang)