Göttinger Predigten

deutsch English español
português dansk Schweiz

Startseite

Aktuelle Predigten

Archiv

Besondere Gelegenheiten

Suche

Links

Gästebuch

Konzeption

Unsere Autoren weltweit

Kontakt
ISSN 2195-3171





Göttinger Predigten im Internet hg. von U. Nembach

1.DOMINGO APÓS NATAL, 27.12.2015

Predigt zu 1.Samuel 2:18-20,26, verfasst von Valdemar Lückemeyer

 

Estimadas irmãs, estimados irmãos!

Quê maravilha esta época de Natal! Por poucos dias estamos sendo poupados de notícias ruins! Os nossos políticos-governantes e seus parlamentos estão em recesso natalino – por isso não ouvimos nada das suas ofensas verbais mútuas, das suas faltas de decoro, das suas posturas e decisões incompreensíveis! O clima de Natal se faz presente em todos os lugares. Ouvimos e recebemos mensagens bonitas, comoventes! Há encontros e reencontros em família, com amigos, com vizinhos. Há emoção quando cantamos, como anteontem: “Quero ir com os pastores e render a Deus louvores pelo seu imenso amor, por nos dar o Salvador” (HPD 1, 31,1).

E hoje, ainda dentro deste maravilhoso clima de Natal, ouvimos mais uma notícia boa que nos traz a Palavra de Deus no texto bíblico indicado para a base da prédica deste 1º Domingo após Natal:

- Leitura de 1.Samuel 2:18-20,26

Ouvimos um pouco da vida de um casal religioso,que cuidava e investia na sua vida espiritual. Com regularidade eles tinham seus momentos de adoração a Deus, quando também recebiam sua bênção. Ouvimos ainda que este casal tinha um filho, Samuel, que “continuava a crescer, e tanto as pessoas como Deus, o Senhor, gostavam cada vez mais dele” (v.26).

Samuel, o primogênito de Ana e Elcana. Um filho muito esperado e desejado. Afinal, Ana já não era mais tão nova e não tinha filhos. Era estéril? Isto não era nada bom! Era sinal de maldição, de humilhação, de exclusão da graça de Deus. Mas Ana era mulher piedosa e crente no amor e no poder de Deus. Lemos no início do capítulo que antecede nosso texto, que Ana orou a Deus e lhe pediu um filho: “Ó Deus Todo Poderoso, olha para mim, tua serva. Vê minha aflição e lembra-te de mim” (1.10b).

Ana foi atendida em suas preces – mais uma notícia boa!! E põe boa nessa notícia: Deus vê a aflição dos seus filhos e de suas filhas. Deus se lembra dos seus servos e suas servas, de todos que lhe servem, que lhe obedecem, de todos que passam por aflições e clamam por sua ajuda.

Deus atendeu às preces de Ana e lhe deu o filho esperado. Nasceu Samuel. No início do capítulo 2 encontramos a oração de agradecimento e de louvor de Ana a Deus, na qual ela expressa a sua alegria por Deus ter se lembrado dela. E ela louva a Deus pelo seu agir no presente e confia também no seu agir no futuro. O salmo que Ana recita é uma clara confissão de fé no Deus criador, que eleva os fracos e os humildes. Ana e todos os demais humilhados e enfraquecidos têm futuro – graças ao agir de Deus.

Como sinal da sua gratidão e fidelidade a Deus, Ana dedica seu filho ao serviço de Deus levando-o para o templo para que fosse ajudante do sacerdote.

Esta história de Ana e seu filho Samuel nos lembra uma outra história muito, muito semelhante! Lembram do Evangelho deste domingo lido há pouco? Assim como Ana e seu marido Elcana iam regularmente agradecer e louvar a Deus, também outro casal, Maria e José, o faziam. José e Maria agradeciam, entre outras, pelo nascimento do seu filho primogênito – Jesus. Há mais semelhanças na vida destes dois casais: também Maria expressou a sua alegria com o salmo de agradecimento, exaltando a fidelidade de Deus criador e salvador dos humildes. E não por último: o evangelista Lucas destaca
que “Jesus crescia no corpo e em sabedoria,e tanto Deus como as pessoas gostavam cada vez mais dele” (Lc 2:52).

Estimadas irmãs, estimados irmãos! Dois casais com uma história muito semelhante. Chama atenção que nestas duas histórias a atitude das duas mulheres é destacada: as duas expressam a sua alegria e gratidão a Deus com um longo salmo de agradecimento. Elas experimentaram em suas vidas o agir bondoso e fiel de Deus. Elas agradecem e louvam a Deus pelo seu agir em suas vidas no presente e confiam também no seu agir no futuro. Deus cuidará dos seus enviando um novo rei, recita Ana, e este novo rei não será como os demais reis, pois ele reinará com justiça e bondade.

Os que estavam anteontem no culto de Natal ouviram a profecia de Miquéias, de que “viria um novo rei, nasceria de uma mulher escolhida por Deus e que ele, o novo rei, apascentaria o povo de Deus tal qual o bom pastor cuida e protege o seu rebanho”.

Ana e Maria expressaram a sua gratidão a Deus. Elas experimentaram em suas vidas a ação bondosa e misericordiosa de Deus.

E nós? Temos ou não temos motivos suficientes para louvar e bendizer a Deus por tudo o que ele fez e faz por nós? Encontramos em nossas vidas a ação bondosa e protetora deste Deus que não abandona os seus, quando clamam a ele por auxílio e proteção?

Com certeza todos nós temos muito a agradecer e louvar a Deus, em especial, pelo que ainda estamos celebrando e comemorando: que ele veio morar em nosso meio no humilde menino nascido em Belém. Estamos comemorando, celebrando e agradecendo a Deus por ele ter enviado ao mundo este novo rei, tão esperado!

Quando nos próximos dias, ou mais tardar nas próximas semanas, voltarem novamente muitas notícias ruins de todas as ordens, não vamos nos esquecer das promessas e dos feitos deste nosso fiel e bom Deus que cuida dos seus, que quer vida em abundância para todos. Iniciou um novo tempo.

“Vocês são o povo de Deus. Ele os amou e os escolheu” nos lembra a epístola de hoje (Col. 3:12-17). Por isso, nós queremos cantar-lhe hinos de gratidão e louvá-lo com todo o nosso ser. “Quero ir com os pastores e render a Deus louvores pelo seu imenso amor, por nos dar o salvador”. Amém.

 



P.em. Valdemar Lückemeyer
Carazinho (Rio Grande do Sul, Brasil)
E-Mail: luckemeyer@annex.com.br

(zurück zum Seitenanfang)